Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

NOITE

 

 

  Imagem Internet/ Salvador Dalí

 
 
Era noite,
O ar respirava
As almas vagueavam
No silêncio
E no escuro da noite.
 
Nada se movimentava,
Apenas eu caminhava
Ao encontro de mim,
Ao encontro de ti,
Ao encontro da vida
Que se me deparava.
 
Nada se movia,
Os corações não cantavam
E guitarras ao longe
Não soavam…
 
Era a noite fantasmagórica
De um local que não dormia
Não se expandia
Não dizia…
 
Perplexa e tímida
Eu te procurava,
No silêncio secular
De uma noite encontrada.
 
E não te via
E não te vislumbrava
E não sentia,
O mover de pessoas
Nessa estrada
De noite cerrada.
 
Era uma estrada
Só minha,
Eu caminhava
Procurava
A melodia que encantava
E não encontrava,
 
Apenas o silêncio se ouvia
Em tom brando,
Cauteloso,
Fugidio
E não se mostrava.
 
Eu nada via
E procurava no desespero
Que sentia
E não parava…
A alma partia-se
Aos pedaços,
Eu não apanhava
Esses pedaços,
Ninguém me ouvia
E a noite escondia.
 
Eu andava nessa noite
Onde estrelas não brilhavam,
Apenas sussurros
Caminhavam escondidos,
Nos silêncios e nos medos.
 
E tu onde te encontravas
E não me procuravas?
 
Quem és tu
Que eu desconheço?
Pois te perdi
Dentro de mim
Fora de mim
E não apanhaste
Os pedaços dispersos
Da minha alma
Que perdi,
Ao longo dessa noite…
 
Meu amor,
Onde estavas
Onde te encontravas?...
 
Maria Luísa adães
publicado por M.Luísa Adães às 11:53
link do post | comentar | favorito
|
53 comentários:
De rosafogo a 8 de Julho de 2009 às 13:04
Mas que alegria ,eu que vinha para te deixar umas palavrinhas, dou contigo já bem pertinho de onde afinal nunca saíste. Minha querida amiga, como é bom estar de novo a ler-te.

Para quê palavras a acrecentar o quê, às tão belas
com que aqui nos regalas hoje?!
Parece-me mentira, sabes, a amiga a gente não esquece, mas o tempo vai desgastando a espera, e às vezes dava comigo a pensar, tenho que ir dar umas palavrinhas à Mª luísa e assim foi o que hoje aconteceu, oxalá esteja tudo bem contigo.

O poema é lindo , caminhada, silêncio, alma em pedaços, procura, solidão e finalmente se fez luz...
lindo como tu tão bem sabes !

Um beijinho com toda a minha ternura.
Agora um pouquinho à pressa, mas ainda cá voltarei,
se o tempo permitir.

natalia



De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 04:20
Natalia

Grata pela tua presença e ternura amiga.

O meu poema é triste e traduz o meu sentir.

Agradeço as tuas palavras.

O poema, como dizes, tem pedaços de alma, solidão,
doença e ainda não se transformou em luz.

Beijos da muito amiga,

Maria luísa


De cuidandodemim a 8 de Julho de 2009 às 14:27
Olá Maria Luísa, voltou, que bom!
Foi sonho ou realidade? Espero que tenha sido só sonho e que tenha encontrado o seu amor...
Bjns


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 04:14
cuidandodemim

Quanta saudade!
Venho doente, triste e decepcionada comigo própria.
Não foi do meu agrado a partida e agora não sei...
O poema reflecte o meu sentir.
Encontrei decepções e pesar e fiquei abalada, muito!
Como vou continuar? Perdi-me desencantada.
Obrigada pela simpatia e amizade - eu tinha saudades de si de todos, quantos me têm acompanhado.
Obrigada.

beijos da Mª. Luísa


De cuidandodemim a 10 de Julho de 2009 às 12:45
Como vai continuar? Com a mesma força e determinação com que continuou até agora. Não tenho a mínima dúvida que é uma mulher forte. A vida gosta de nos colocar à prova e nós temos de provar que conseguímos nos adaptar a ela, apesar de ser muito difícil por vezes... Tenha fé!
Bjns


De M.Luísa Adães a 10 de Julho de 2009 às 21:48
cuidandodemim

Sim, continuar com a mesma força, a mesma vontade, o mesmo carinho.
A vida é complexa para todos.
Os amigos fazem parte dessa vida.
Dão força, amenizam as coisas e fazem esquecer.
Tudo de bem por aqui.
Agradeço muito a sua amizade, interesse benéfico
e positivo.

Beijos da amiga,

Mª. Luísa


De 100timento a 8 de Julho de 2009 às 15:15
Silencioso, rasurado...
Sensurado, amargurado...
Plano, plenamente leve,
sobre a sonoridade das tuas palavras,
que me animam e me intristecem.
Súbito devaneio,talvez receio,
da feroz e intensa essência humana...
Medo, submete-me,
Nervos, possuem-me
e eu desvaneço
sempre eterno...
sempre mortal...
Sentimento fraterno...
Esperando um sinal...

Por acreditar que só transmites tristeza, quando não te acho uma pessoa triste.
Tens os teus momentos de dor, e choro nessa altura, mas...também sei que sabes rir, lutar e enfrentar a realidade, por mais amarga que ela seja.

Beijinho Amiga ...tão longe...tão perto.


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 04:06
Meu amigo

Venho doente e o poema reflecte o meu sentir.
É triste e eu estou triste e mal de saúde.
Foi uma violência a minha partida e eu senti isso, a todo o momento.
Não posso dar-te alegria e força; tu tens de pedir por mim, sofrer comigo e ficar mais perto de mim.
Sinto que morri um pouco nesta partida que sempre
me desagradou.
Venho mais magra e abalada; por agora, não esperes de mim alegria, mas sim o que escrevi que
traduz em pleno o meu sentir.
Desculpa decepcionar-te, mas não tenho forças para ser melhor.
Agradeço as tuas palavras e a tua presença, sempre digna, sincera e atraente.
Meu amigo, ajuda-me a caminhar.

Beijos da amiga,

Maria Luísa


De 100timento a 9 de Julho de 2009 às 07:48
Das palavras que li

Descubro tamanhas incertezas

Rego as palavras incertas

Com muitas filosofias certas

Encontro-te ao virar de página

Sei que aqui estás, confio-te

As vidas que já vivi, provo-te

A angustia que me mina

E sorvo obrigados para ti

Numa ânsia simples

De contigo poder conversar

Plantar as amizade puras

fazer-te um dia sorrir

Num abrir e fechar

De janelas nas nossas ruas.

Beijinho e conta comigo


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 11:51
100timento

Que bem me entendes! Quanta alegria me dás! Quanto anseio de te encontrar, falar contigo incoerências que ninguém entende, mas tu entendes!
Grata estou e vamos plantar amizades puras que
façam esquecer o desejo de partir do blogs e não
voltar...
Essa idéia me assedia e me aparece como fantasma,
a pedir a despedida.
Não te quero deixar! Encontrei-te e quero ficar
junto ao teu estar de amigo querido e nunca
esquecido.
Deixa falar e dizer
sem falar e sem dizer
deixa dissertar ambiguidades
feitas de coisas infinitas
e Eternas.
Aceita-me como sou
e ajuda-me a descansar.

Meu amigo, meu irmão,
de longas eras
e caminhos seculares.
És tudo,
eu nada sou
ou sou,
um pouco mais,
contigo.

Obrigada, por entenderes esta procura de solidão
do pouco que sou
do pouco que tenho
e pela incompreensão
do que me rodeia.

A culpa é minha
faço o que não quero fazer
não faço, o que gostava de fazer!

beijos da amiga,

Maria Luísa


De 100timento a 9 de Julho de 2009 às 19:14


Amiga ,aceito sim...com prazer,
mas olha que sou um pouco controverso,
sou
O que sou...
Sou alguém...
que vive no exterior do superficial,
dedico-me em parte ao mundo real,
mas por vezes navego no mundo virtual
Sou um sujeito materialista,
Que por vezes gostava de ser menos consumista!
Estima as pessoas que gostam dele e despreza aquelas que o odeiam...
Dá valor á vida,
á amizade
á felicidade...
Pois sabe que um dia...estas três coisas
vão acabar e serão substítuidas pela morte.
Enquanto esta não bate á porta ele escreve,
lê e ouve música para passar o tempo...
e estuda agora com 53 anos porque pretende ir para a universidade...
Sim, é verdade ele é um admirador da vaidade!
Mas também sabe ver o belo no interior de cada um,
E nos seus poemas enaltece sentimentos como: a insegurança, o medo, o amor, a fraqueza e o
sonho que o alimenta desde sempre,
que o ajuda a superar os obstáculos
e a atingir os seu ideais.
Pode-se dizer que sou um velho sonhador!
E por vezes sonhador demais...
Mas essencialmente sou eu o rui,
que por vezes se mascara de poeta
e perde-se no mundo da poesia,
vestindo o papel de poeta aprendiz,
Que só quando eu morrer irá ser despido!
beijinho do louco rui


De M.Luísa Adães a 10 de Julho de 2009 às 09:53
100timento

Aceito a tua amizade tal como tu és e só dás o que
queres e quando queres.
Nada é Eterno!...
Nem a amizade, a simpatia, o amor, esperança, ou
seja o que for.
Nada vive para sempre!
Eu sou controversa, escrevo verdades, misturadas de ficção.
Sou ilusão!

Mas quem gosta do meu estar no mundo eu aceito
e juro coisas eternas que são sentimentos abstractos, vestidos de cerimónia e existem no meu sentir, mas não passam ao mundo real.
E isso, não me incomoda - é a chamada "Liberdade
do Poeta".
Aceito-te como tu és e não pretendia nada de
diferente.
Sejamos simples, sem coisas complicadas, sentimentos que não chegam a ser e nos deixam, sempre, num local isolado no palco da vida.
Talvez tenha escrito, num estado emocional de passagem - tudo de passagem - nada para ficar sempre.
O sempre não existe para mim!
Não tenhas receio; não pretendo nada, apenas a tua amizade, quando estiveres disposto a dá-la...
"O sempre não existe para mim!
E no mundo virtual ,tudo é uma passagem efémera
e incondicional.
Escrevi num "estado de alma" transitório, levado ao
extremo no momento, mas que pode desaparecer,
noutro momento.

Então somos amigos que já nos conhecemos e nos
respeitamos - e isso basta, é suficiente, não
precisamos de juras, nem de nada assente.
Continuamos a nossa vida, como gostamos, sem
algemas de qualquer espécie.
Obrigada, Rui, por escreveres e seres meu amigo.

Maria luísa



De Sonhosolitario a 8 de Julho de 2009 às 15:27
olá amiga Luisa adães.espero que tenha chegado bem .
como tinha prometido está lá no meu blog,algo para si .
e aqui vai este lindo comentario para amiga virtual...

http://fotos.sapo.pt/i8FkglgNuQjZJ4zpEe7l/
aqui te ofereço este lindo poema de amigo...

Você sabe o que é um melhor amigo+a)?•
Um melhor amigo é aqueles que confiamos nossos segredos,
Um melhor amigo é um grande consultor,
Um melhor amigo é aquele que nos conforta, e sentimos conforto,
Um melhor amigo é como um diamante.
Um melhor amigo é sempre cuidar de nós,
Um melhor amigo é estar sempre ao nosso lado,
Um melhor amigo é aquele que te faz sorrir,
Um melhor amigo é aquele, que empresta seu ombro e está solidário, doce e verdadeiro…
Um melhor amigo é alguém como você.
Obrigado por ser minha melhor amiga, para a minha vida, decorrer melhor, sem falsidades…

MEU ANJO.MINHA AMIGA
Tenha um lindo dia meu anjo
Meu anjo vai ser o que tem apanhado seus sentimentos,
e nunca te faz chorar…
Meu anjo vai ser o único que me faz chegar ao céu,

Quando olho profundamente em seus olhos…

Meu anjo vai ser o único que não importa o quê,
faz-me sentir vivo…
Meu anjo vai ser a única que me mostra o seu coração,
quando as coisas parecem se desmoronar…
Meu anjo vai ser a única que leva-me a esse lugar,
profundos dentro do coração dela…
Meu anjo será o que eu vou segurar,
pelas noites dentro, nas longas noites…
Meu anjo vai ser a única que está sempre na minha mente,
e ela sempre será minha…
Meu anjo vai ser a única que toca meu coração e alma,
Meu anjo, meu anjo, Você é o meu anjo…

aqui vai como devia ser os amigos...
espero que goste

doce beijinho e um bom dia de trabalho
seu amigo virtual
sonhosolitario


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 03:53
sonhosolitário

Obrigada meu amigo, pela gentileza e o carinho.
Este teu anjo, não vem muito bem de saúde e emagreceu 2 kg.
Agradeço o teu poema lindo e de um sentimento doce e forte.
Levei o teu presente aos Prémios, no teu lugar, guardado por mim, para as coisas lindas que tens a
gentileza de me enviar.
E o poema está lindo de encantar.
Meu bom amigo, quanta saudade do meu País e deste recanto.
A minha saúde tem de recuperar, vamos ver como.
Dei-me muito mal com o clima, muito incerto. com
altos e baixos na temperatura e isso, deixou-me muito abalada e emagreci.
Eu tinha razão quando dizia "que não queria partir".
Meu amigo, muito obrigada.

Beijos da Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 9 de Julho de 2009 às 11:08
Estás mesmo doente e triste, amiga :( Não há ficção nenhuma neste teu poema. É apenas um queixume, a expressão de um desalento. Mas foste e voltaste e agora só te resta tentar sorrir, agarrar a vida e voltar aos teus poemas. Se estiveste doente, é natural que tenhas perdido alguma fluência de escrita, mas esta tua "Noite" não o demonstra, de forma alguma. A tristeza é que se sente de uma forma intensa. Ela passa, amiga. Tudo passa, não te esqueças. Força!
Um grande, grande abraço.


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 11:33
Mª. João

Folgo em encontrar-te. Quanta saudade!
Não notas diferença na "Noite"? Então fico melhor;
a tua opinião, tem muito valor.

Sinto-me a balouçar entre um lado e o outro e gosto
mais do meus País do que qualquer outro.
Sabes, estive para deixar o blogs...estou muito
cansada de tudo! Perdi anos de vida, naquele inverno frio e chuvoso de São paulo e não sei se posso perder anos de vida - talvez não possa.

Tenho de sorrir, dizes tu - e tens razão, mas por
enquanto, não é possível. Vou escrever o que se me deparar ,até cansar e não poder mais e aí termino.

Mas gosto de ti e mais amigos prediletos, dificeis de
esquecer! Por essa razão, aqui estou, mais magra
e de péssimo aspecto.
Obrigada por escreveres e por continuares na Net
- que faria sem ti? Nada, nada!...

beijos da amiga,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 9 de Julho de 2009 às 12:08
Claro que farias tudo sem mim, amiga. Talvez eu contribua com o meu grãozinho de areia para um pouco de alegria na tua vida, mas a obra é tua. Eu sou um "incidente de percurso". Posso ser um "incidente" positivo e fico muito feliz se assim for, mas todos nós somos capazes de sobreviver a dores que nem sequer podemos imaginar.
Eu emagreci mais de dez quilos quando tive aquela oclusão intestinal e a infecção. Fiquei com dislexia durante uns dias, pedi a deus que me levasse pois as dores abdominais eram mesmo insuportáveis e, no entanto, ainda cá estou. Um pouco mais condicionada, mas ainda produzo!
Um grande, grande abraço!


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 13:04
Mª. João

Neste momento não aceito a idéia de perder os amigos mais queridos que encontrei. Que faria sem
ti? Que faria sem os outros? Morria de saudade e tristeza.
Sei que estiveste muito mal;
és uma mulher sobrevivente do holocausto desta vida.
Sei que és, mas gosto de ti e não posso perder-te!
Sei que teria de aceitar e aceitava, mas neste
momento, estou muito fragilizada.
Foi um tempo instável, de tormenta e trovões ao longe. E parti, mas não queria partir...E me condenei à solidão, longe de tudo quanto amo e
paradoxal, perto de tudo quanto amo.
Nada foi suficiente, ao poeta esquecido que vive em
mim.
Sabes como é - este estar incompreendido, num mundo que também é meu!

E agora tenho de tentar, recuperar e se possível,
através de versos meus.
Desculpa o egoismo, mas não quero perder nada nem ninguém!

Neste momento não digas, "claro que farias tudo sem mim". Sofreria muito, podes acreditar!

Beijos e obrigada,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 9 de Julho de 2009 às 14:11
Não o direi, se é isso que sentes, amiga. Sei bem o que é estar perto e longe de tudo o que nos é querido. Venho agora da minha catedral de caruma verde... o meu gigantesco pinheiro. Alguém esteve lá antes de mim e deixou um banquete de migalhas que os meus irmãos alados devoravam gulosamente. E fiquei feliz por eles. Tão feliz. Hoje estou "vestida" de momentos de estranha beleza. Coisas corriqueiras, do dia-a-dia, que me cobrem, me inundam e me deslumbram.
Um grande abraço cheio de ternura.


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 16:28
Mª. João

Hoje o teu dia é um dia de luz.
Estás vestida a primor para a tua festa;
os teus irmãos alados devoram a comida que alguém deixou;
vestiste os trajes de Deusa da poesia que escreves;
as coisas vulgares, tu as olhas, como se fossem tesouros;
há momentos de paz e esplendor no teu interior;
e sentes um momento forte de felicidade, há muito
esquecida;
hoje és fénix renascida olhando deslumbrada o que
te rodeia;
hoje és tudo o que já foste e regressou de novo,
a ti;
hoje não caíste das mãos, da criada descuidada;
e eu fico feliz por ti!

Agradeço tudo que és
Agradeço tu existires e gostares de mim;
fico feliz por te encontrar e te conhecer;
e gosto desses momentos de estranha beleza!

Que Deus te ajude e me ajude;
deixa-me ser egoísta, por instantes breves e só
pedir por ti e por mim e esquecer os outros.

Deixa que isso aconteça!

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 10 de Julho de 2009 às 11:09
Obrigada por toda a poesia que me ofereces neste comentário, minha amiga! Também eu encontro momentos de rara beleza nos nossos diálogos e é evidente que deixo que isso aconteça. Temos todo o direito de ser um pouco egoístas, de vez em quando.
Ontem conversámos e eu esqueci-me de te dizer que há uma magnífica exposição sobre S. Dali, aqui em Oeiras, no recém inaugurado Palácio do Egipto. Quase tenho vergonha de dizer que ainda não consegui lá ir... mas ainda hei-de ir, se Deus quiser!
Um enorme abraço!


De M.Luísa Adães a 10 de Julho de 2009 às 11:55

Obrigada por gostares da poesia que te escrevi, em
resposta à tua poesia.
A um poeta ,se responde com poesia - não de outra
forma.

Exposição de Dalí, de quem tanto gosto. Obrigada por dizeres.

Adorei conversar contigo!

Beijos,

Maria Luísa


De Sonhosolitario a 9 de Julho de 2009 às 12:27
olá querida amiga Luisa ,bem vinda ao nosso convivio
pois da noite se faz dia ,desejo-te muita saude ,
para nos contemplares com os teus doces poemas.
_________(, _______________),
____(_, d888888888b, d888888888b
_____d888888888888/888888888888b_)
__(_8888888P'""'`Y8Y`'""'"Y88888b
____Y8888P.-'_____`______'-.Y8888b_)
___, _Y88P_(_(_(________)_)_)_d88Y_,
____Y88b, __(o__)______(o__)_d8888P
____`Y888___'-'________'-'__`88Y`
____, d/O\_________c_________/O\b,
______\_/'., ______w______, .'\_/
_________.-`_____________`-.
________/___, _d88b__d88b____\
_______/___/_88888bd88888`\__\
______/___/_\_Y88888888Y___\__\
______\__\___\_88888888____/__/
_______`\_`.__\d8888888b, _/\\/
_________`.//.d8888888888b;_|
___________|/d888888888888b/
___________d8888888888888888b
________, _d88p""q88888p""q888b,
________`""'`\____"`|____/`'""`
______________`.____|___.
________________>___|___|
________________/___|___|
_______________|____|___|
_______________|____Y__/
_______________\___/__/
________________|_/|_/
_______________/_/_/_|
______________/=/__|sweet kiss
_____________`"`___`"`
adoro a noite fico feliz quando ela bem ,
até já querida amiga
doce beijinho
sonhosolitario


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 12:46
sonhosolitário

Gentil como sempre! Por ti e pelos amigos voltei a este recanto meu e vosso e peço paciência, para
mim, pois me sinto doente.
Prepara-te para este estilo de escrita até voltar,
a ser eu.

Obrigada pela tua presença de amigo querido e nunca esquecido.

Da amiga,
Mª. Luísa


De Maria a 9 de Julho de 2009 às 12:28
Então Mª Luisa em vez de vir feliz e contente, vem triste,doente ae amargurada?
Espero que essa tristeza passe breve e a doença, não será originada da tristeza?
Porque partiu se já sabia que vinha triste?
Vamos a arribar


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 12:41
Maria

Que feliz me sinto por a encontrar.
Pergunta bem: "porque partiu?..."

Coisas que nos acontecem, mas servem de aprendizagem, através do sofrimento e não são para repetir. Que me sirva de lição!
O que escrevo traduz o meu sentir e de momento,
vai continuar essa forma de escrever.
Tenha paciência para mim, por favor, eu estou
doente e voltei a este recanto para encontrar
amigos e desabafar com eles, tendo os meus versos,
como pano de fundo, do palco da vida.
Obrigada Maria, me deixou feliz, a sua presença.

Beijos da amiga,

Mª. Luísa


De maripossa a 9 de Julho de 2009 às 17:35
Maria Luísa. Vejo que regressou e o mesmo se fez de dor e tristeza, como documenta o poema, a vida nem sempre se compadece de nós, temos de tentar por menos ser mais fortes e virar as voltas que ela tem para nós. Beijinho e melhores (saúde) sinto debilitada. Lisa


De M.Luísa Adães a 9 de Julho de 2009 às 17:42
maripossa

Adorei encontrar-te depois desta ausência.
Sim, o tempo estava muito mau em São paulo com
chuva e muito frio.
Viagem (ida e volta) muito cansativa.
Saúde ressentida com o clima e grandes diferenças de temperatura.
O poema traduz , em tamanho real, como me sinto.

Obrigada por escreveres.

Beijos para ti da amiga,

Maria Luísa


De jpcfilho a 10 de Julho de 2009 às 09:42
Querida e linda Maria Luísa, que bom que estás de volta, agora não haverá mais noites assim,se tua casa te esperava, tuas rosas ali estavam, lindas como o dia, e as noites aí, serão tuas noites, cheias de ti, cheias de amor, de beleza, no teu canto predileta de peregrinar teus versos de luz, de recpcionar o amor, a amizade, de resgatares todos os clarões do dia que esquecestes naqueles labirintos de Perseu, mas decifraste o enigma, que é: em voltando para casa, tudo se faz lluz, e as noites serão benditas...
lindos versos
beijos
João Costa Filho


De M.Luísa Adães a 10 de Julho de 2009 às 10:41
João

Que feliz fiquei por te encontrar neste recanto, lendo meus versos...

Sim, sinto-me melhor por ter regressado ao meu País, à minha casa.
Dei-me muito mal com o clima de São paulo. Chuva,
frio, humidade, tal como o inverno em Portugal, mas
diferente para pior, pois não estou adaptada.
Fui só, o que foi um erro crasso. Arrangei problemas
de saúde, sem necessidade.
Não torno a fazê-lo e espero que nada de anormal se passe e eu possa seguir a minha vida com simplicidade - é assim que gostaria de viver - em
simplicidade!

Senti muito, a tua falta de bom amigo e nada é igual a uma boa amizade.
Os meus versos dizem o que sou e o que sinto - não
estão ficcionados.

Muitas saudades tinha tuas e no teu comentário, eu
entendo que tu entendes o que digo.

Obrigada por escreveres e seres meu amigo.

Beijos da Mª. Luísa



De Eduardo Daniel Cerqueira a 10 de Julho de 2009 às 12:23
Bem-vinda.... Beijinhos minha amiga


De M.Luísa Adães a 10 de Julho de 2009 às 21:52
Edu

Obrigada pelas tuas palavras,
Meu amigo de longa data, neste mundo virtual.

Adorei encontrar-te!

Beijos da amiga,

Maria luísa


Comentar post

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão