Terça-feira, 2 de Junho de 2009

TENHO DE PARTIR

 

 Imagem Internet/ Salvador Dalí/ To go away

 

 
Tanto medo tenho,
De me desprender
Do meu lugar,
Onde quero ficar
E não o quero deixar.
 
Envolvi meu sentir
Nessa promessa que fiz
E tanto sofri…
 
Não mais vou prometer
Isto ou aquilo,
Não vou permitir
Conturbar meu sentir.
 
Não mais o torno a fazer!
 
Mas fiz…
E mudar o que está feito,
Como o vou fazer?
 
Amo as pessoas,
Mas sou decepção
Não deixo de ser ilusão.
 
Estava tão certa de mim
E me enganei
Uma vez e outra,
Mas a esta não posso fugir.
 
Tenho de partir!
 
Não sei como o vou fazer,
Sem morrer um pouco
E calar minha voz
Quando devia gritar,
Implorar,
- Tende pena de mim.
 
Perdi a força
Por amar demais,
Por aceitar,
Por não esquecer
Nada nem ninguém.
E assim…
 
Tenho de partir!
 
Só, sem ninguém
À volta de mim.
 
Venham ao meu lugar,
Agarrem os meus braços
E não me deixem voar.
 
Metade de mim – é partida
Metade de mim – é saudade.
 
Ninguém está atento,
Ninguém entende o que sinto,
Ninguém entende o que digo.
 
Tenho de partir!
 
E te vou deixar,
Vou para outro lugar
Longe, muito longe de ti.
E de todos…
 
Mas tu não entendes,
Ninguém entende
 
Tenho de partir!
 
Não sei quando volto,
Não torno a prometer
O que não sei fazer.
 
E não quero...
 
- Que dizer Adeus,
   Seja o meu Destino
 
 
Maria Luísa O. M. Adães
publicado por M.Luísa Adães às 18:20
link do post | comentar | favorito
|
96 comentários:
De 100timento a 2 de Junho de 2009 às 19:26
Amo as pessoas,
Mas sou decepção
Não deixo de ser ilusão.

De mim essas palavras não as levas ,és magia és amiga, és um pouco de cada um que te acompanharam...
TENHO de Partir...existem muitas formas de partir e uma delas gela-me o sangue nas veias e descarto essa ideia que Deus nunca tal permita...
...quanto a outro tipo de partidas ,nunca se diz ADEUS mas sim até breve amiga...os motivos estão no cofre que guardas no coração ,mas eu sei que voltas e ....mesmo que nunca o faças tu nunca partiste...estarás sempre no meu coração...este poema levo comigo ele com o tempo vai ajudar-me a decifrar tanto que dizes mas só tu sabes o quê...irei descobrir ...sim irei.
Beijinho amiga e para onde fores lembra-te que o nosso contacto foi breve mas sem saber porquê levas contigo um pedacinho do meu coração
Rui



De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 10:07
Rui

Me comoves com as palavras que brilham como
"Estrelas cadentes
Plenas de cor
Do Espaço Infinito

Descendo
Descendo...

Iluminou-se o Lugar
Com essa Luz
Vinda do Tempo.

Gostei de ti, mesmo assim,
Perdido e exausto...

Não volto ao Mundo
Criado pelos Homens
Não volto!
Não posso voltar!

Mas quero transformar
O teu caminhar
E dar-te o Lugar
Apenas teu...

No Mundo de Todos."

À Amizade!

Até logo, amigo...

Maria Luísa


De 100timento a 3 de Junho de 2009 às 10:29

Gostei de ti, mesmo assim,
Perdido e exausto...


...Amiga vagueio nas casas cheias,
de espaços escondidos,
perdido nas avenidas,
cruzando céus nas nuvens do destino.

Escondo as palavras,
mostro os desejos,
e nas janelas dos vossos olhos,
olho o meu dia a nascer.
Amiga que me guardas,
eu confundo tudo, mas sinto-me bem por aí!.


Não volto ao Mundo
Criado pelos Homens
Não volto!
Não posso voltar!...


...Procuro respostas para as duvidas que tenho
Sonho coisas que ainda desconheço.
Sinto a confusão dentro de mim,
e luto pois eu quero entender!
Mas resiste em mim um medo maior,
o medo de partires e não voltares.


Mas quero transformar
O teu caminhar
E dar-te o Lugar
Apenas teu...


...Vou passar e ver as estrelas,
olhar o céu de nuvens
e ver o azul que me mostras.
Acreditar e sorrir,
pois o mundo afinal não pode ser tão triste assim!

Até logo Amiga



De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 10:49
Rui

Não escondas as palavras
fica onde te sintas bem!

Procura as respostas
e sonha os teus sonhos.

O medo maior é de repudiar
e não voltar!

Olha as estrelas
e encontra-me, numa delas.

Mas o momento deste instante,
é para transformar em alegria
acreditar e sorrir,
sem nostalgia.

Até um dia...

Até logo amigo

Maria luísa


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 10:52
Rui

esqueci de dizer :

a resposta ao que escrevi, está linda! Obrigada.

Maria Luísa


De 100timento a 3 de Junho de 2009 às 11:53
Olha as estrelas
e encontra-me, numa delas.

Mas o momento deste instante,
é para transformar em alegria
acreditar e sorrir,
sem nostalgia....


....Nostalgia é pensar
que parte um amigo...
sim,vou procurar
nesse universo tão antigo
uma luz com o teu olhar...


...e vou chamar-lhe
o meu Anjo perdido.

Até logo Amiga
Rui


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 12:31
Rui

Isto tem dado e dá sofrimento; estou dividida em
duas pessoas. As duas não querem partir, mas uma sente que há uma promessa a cumprir a quem a ama
e nem pressente o sentimento de sofrimento.
Não pode pressentir! Seria uma desilusão tremenda.
Não o posso fazer! Tenho de partir...
E possa Deus ajudar!

Olha o Universo antigo
E vê a Luz brilhar.
mas o Anjo não se vai perder
Espera voltar.
Mas sofre,
dentro da sua condição humana!

Até logo Amigo

Maria luísa


De 100timento a 2 de Junho de 2009 às 22:31
Hoje ,depois do teu comentário no meu blog eu vim...e devo dizer-te que passei a tarde a revirar tudo e ...em parte porque a outra tu nunca revelas eu conheci mais um pouco a minha doce poeta.
http://inyoureyes.blogs.sapo.pt/

Até logo amiga...


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 09:55
Rui

Fui directa ao "http://inyoureyes.blogs.sapo.pt, deixei
agradecimento e comentário.
Foi uma linda surpresa, encontrar-me lá e ao meu poema!

Até logo amigo...



De maripossa a 2 de Junho de 2009 às 22:55
Maria Luísa. Quem quer partir ninguém, a mesma nos dá saudade de algo profundo e inexistente em nós, a partida dói, machuca entristece o coração e deixa a melancolia das horas ,dos sonhos e pensamentos vadios, ao sabor das marés e dos ventos.
Beijinho de amizade Lisa


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 09:41
Maripossa

Lindo o que dizes, com brandura e sensibilidade.
Gostei :

"Dos sonhos e pensamentos vadios,
Ao sabor das marés e dos ventos"...

Amei este final! Prometo, volto breve!

Beijos da amiga , muito amiga,

Maria Luísa


De rosafogo a 2 de Junho de 2009 às 23:29
Minha amiga
Mªa Luísa

Só não estás presente
Porque o teu coração
A gente o sente!
Neste poema sem chão
Que parte a alma da gente!

Tens de partir
Dividida entre partida
e a saudade
Não deixes de sorrir!
Não se acaba a Vida.
E o teu Amor é de verdade.

Vai com esperança, sem sofrimento
Vai... e volta a sorrir!
Como é lindo o teu comportamento
E promessa é para cumprir.

Que a felicidade te rodeie
Aqui por ti todos esperamos
Estarás sempre conosco, eu sei!
Porque todos de ti gostamos.

Que Deus te dê uma boa viagem

Beijinho de saudade
Natália





De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 09:30
Natália

Lindos os teus versos dedicados a mim e ao poema
que nasceu do meu coração, como um filho amargurado - dividido entre a partida e a saudade -
Amei, palavra certa, o que dizes, com tanta ternura e sensibilidade.
És poetisa! Disso podes ter a certeza!

Vou tentar voltar - a Sorrir!...

Muito obrigada por tudo.

Beijos da muito amiga,

Maria Luísa


De Sonhosolitario a 2 de Junho de 2009 às 23:36
olá minha doce amiga Luisa ,
parte mas volta .terás sempre o teu lugar no meu coração,por está amizade virtual,com todo respeito
desejo-te uma partida muito feliz e uma boa viagem volta de pressa, vou sentir muitas saudades tuas, minha querida poetisa, volta depressa,deus te deia uma boa viagem,ficarei aqui esperando...
um doce beijinho, minha querida amiga...
sonhosolitario


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 09:19
sonhosolitario

Meu amigo virtual, sincero e leal de longa data.
Obrigada por me agraciares com as tuas palavras
e a tua presença.
Muito me apraz receberte e com algumas lágrimas
(a viagem é longa) te deixo por uns tempos, mas se
Deus ajudar, volto num instante breve.
Agradeço!

Beijos da amiga virtual,

Maria Luísa


De MIGUXA a 3 de Junho de 2009 às 00:49
Maria Luísa,

Peço desculpa por entrar sem convite, neste seu mundo imenso de sensações.

Não é a primeira vez que o faço e, apesar de nunca ter comentado, fico sempre profundamente tocada pela qualidade dos seus textos.

Este "Tenho de partir" deixou-me de lágrimas nos olhos, de tão vivo, de tão emocionante...

O Amor toma-nos a alma, conduz os nossos passos, abrindo caminho...

Que Deus a acompanhe...Até já...

Xi-kor apertado com muita ternura
Margarida


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 09:13
Margarida

Fez muito bem em entrar no meu espaço; já estava
convidada, mas não sabia...Conheço o seu nome e
muito me apraz recebê-la.
O comentário que faz, está lindo e denota uma sensibilidade grande, tão a meu gosto...
Sim, só o amor deve conduzir os nossos passos nas
agruras do caminho que temos de desbravar ao
longo de uma vida, maior ou menor!
"Tenho de Partir" traz amargura e "deixa-nos de
lágrimas nos olhos" (como diz).
Obrigada! Ainda tenho tempo de ir ao seu blogs;
quero saber quem é, como escreve, o que diz...
Gostei da sua Presença!

Com amizade,

Maria luísa


De 100timento a 3 de Junho de 2009 às 09:20
Estas triste comigo?...de qualquer forma que Deus te guie amiga e até breve
beijinho de saudades do Rui


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 09:36
Rui

Não estou triste contigo, nunca me deste razões
para isso, estou triste por partir, só e isolada.
No outro Continente, encontro companhia saudosa
de mim e isso, me possa dar alento.
Fica bem e encontra o amor que procuras e tudo
deixe de ser, "Um Sonho"...

Beijos com carinho,

Maria Luísa


De cuidandodemim a 3 de Junho de 2009 às 12:08
Maria Luísa,
identifiquei-me bastante com este poema. Também eu já senti isso que escreve, essa necessidade de partir e ao mesmo tempo não me querer desapegar. E a saudade, essa, como dói.
Bjns


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 12:20
cuidandodemim

É isso mesmo! Estou dividida em duas - uma não
quere partir e sofre muito - a outra, também não
deseja partir, mas sente que tem uma palavra a
cumprir e "tem de partir" e sofre...

Tem sido muito difícil, ainda bem que entendeu, têm
sido dias péssimos e vai continuar...Parto dia 6 junho e são 9h30m de viagem e vou só!

Obrigada por escrever e entender.

Maria luísa


De cuidandodemim a 3 de Junho de 2009 às 12:41
Então desejo-lhe muita força, ânimo e esperança. E muita sorte.
Bjns


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 14:51
cuidandodemim

Muito agradeço a sua força, vou apanhá-la e
guardá-la junto a mim, no cofre secreto que levo
comigo para tão longe.
Não esqueça, levo-a comigo e vou traze-la de volta,
ao nosso Continente.

Com carinho e amizade,

Maria Luísaq


De poetaporkedeusker a 3 de Junho de 2009 às 13:06
Amiga, este teu poema é uma perfeita descrição metafórica do que eu senti há pouco mais de uma década. Andei assim, "metade de mim - é partida,
metade de mim - é saudade..." durante um longo período de tempo... depois pareceste-me o Petit Prince, no deserto...
Terei saudades de ti... para além das que vou tendo de mim mesma. Estranho, não é? Mas é assim que sinto, neste momento.
Um enorme abraço!


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 14:44
Mª.João

Metade de mim - é partida
metade de mim - é saudade.

E aqui nos reencontra-mos, uma vez mais, na nossa
forma de dizer que parece tão distante e está tão
próxima,
quase igual, só a forma de apresentar é diferente.
Apenas um minimo pormenor, na diferença, da nossa
poesia.
Quem o entende ? Só os poetas entendem!
E não precisamos da aceitação de ninguém!
Lembra-te, "somos livres" de dizer, de apresentar,
ao que somos mais sensiveis.
Mas somos poetas! Ninguém duvide!
E sei que não duvidam! Tenho a certeza!
E se alguém duvida... é mediocre!

Tudo é estranho no nosso viver e não traz felicidade. Os dons são dados, não sei porquê, mas
não oferecem prémios, em troca.
E não dá felicidade termos este dom?...ou queremos
mais, além disto?
Não sejamos egoístas e agradeçamos a DEUS esta
benesse.
Tu reencontraste-te em mim, eu reencontro-me
em ti. É esta a nossa vida! Aceitemo-la!
Não tens de ter saudades de ti - tu és incolume!
Acredita em mim que sou louca como tu!

Beijos e obrigada pela força que tiveste, ao chegar
até mim!
Melhoras e pensamentos ao mais Alto, pela Graça
que nos foi dada.

Até logo,

Maria luísa


De poetaporkedeusker a 3 de Junho de 2009 às 14:56
Sim, amiga, este dom traz-nos felicidade e eu sempre me senti muito agradecida por ele. Pode "desencaixar-nos" do viver comum do dia-a-dia. Pode, inclusive, transformar-nos em ilhas, mas somos, também, bastante mais felizes do que a maioria. Sofremos mais, amamos mais, sentimos mais.
No fundo somos os grandes privilegiados... mesmo quando parecemos ser as grandes vítimas.
Abraço grande!


De M.Luísa Adães a 3 de Junho de 2009 às 15:05
Mª. João

As lágrimas sentidas, jorraram dos meus olhos ao ler-te.
É tal como dizes! Nada há a acrescentar - somos
isso mesmo -" Ilhas, sofremos mais, amamos mais,
sentimos mais" e ninguém duvide disso. Somos os
"grandes previligeados, mesmo parecendo vitimas".

Até logo,

Maria Luísa


De rosafogo a 3 de Junho de 2009 às 23:35
Como eu adorei ler os vossos comentários, que palavras sentidas, também me emocionaram, na verdade grande previlégio o vosso, saber dizê-l as de alma e coração. Grandes Poetizas e eu pequenina, como vos procuro entender! E então se também eu choro, é porque bebo da mesma água que vós!Também me sinto rejeitada, sem necessitar que ninguém me entenda para além dos sensíveis como eu, também procuro a liberdade e também me sinto um pouco ILHA.
Um abraço, grande, grande para as duas
Natália



De M.Luísa Adães a 4 de Junho de 2009 às 09:49
Natalia

Gostei de te encontrar e te digo, se bebes da mesma água que nós bebemos, és nossa irmã!
Todos somos diferentes no dizer e no escrever, da nossa sensibilidade e somos "Ilhas" e somos os previligiados que se apresentam ao mundo como
vitimas - e somos os esquecidos deste mundo.
Queres juntar-te a nós? Podes fazê-lo, mas não
encontras prémios, compreensão, para o que
escreves e o que és! E te vais sentir, muitas vezes,
só e incompreendida.
Não é assim tão bom!...
Mas congratulo o teu sentir, eu que te entendo!

Felicidades Natália, não estás tão distante de nós,
como sentes e pensas.

Beijos com ternura,

Maria Luísa


De Fisga a 3 de Junho de 2009 às 19:12
Não vou mais prometer.
- É um sinal de arrependimento. De tristeza e desilusão, quando nos vemos envolvidos numa transcendência que não estava prevista. É tão ou mais importante perdoar-mos a nós próprios, nestas alturas, como perdoar aos outros quando erram, porque ninguém erra por puro prazer. Somos humanos e por isso, susceptíveis de errar. Pese embora o facto de que aqui ninguém errou.
- Amo as pessoas, mas sou decepção, não deixo de ser ilusão.
- Nós quanto mais sensíveis somos às falhas, mais temos tendência para nos vitimizarmos, mas também para nos considerar-mos falhados. Nos momentos em que estamos mais deveis, mais vulneráveis, em que precisamos de mais apoio e carinho, somos os primeiros a culpabilizarmo-nos. Do que nos acontece de alheio Á nossa vontade. Não devemos ser nós os primeiros a condenar-nos, não faltará quem o faça por nós, mesmo que não mereçamos.
Este poema é Mais que um grito do fundo da alma. Como que A pedir ajuda, É um apelo, ao amparo e à ajuda. Mas minha Amiga, a primeira ajuda tem que partir de ti, para contigo. Como vais te ajudar a ti própria? Pensando que logo, logo. Vais estar junto de alguém a quem muito amas, é aí que vais encontrar a força que agora mendigas, àqueles sabes teus amigos, e de quem esperas a força que te falta. Pensa que a saudade, a tristeza, a ânsia, e tantas outras coisas não passam de estados de espírito, que vão mudando como mudam as situações.
- Este teu apelo, é um grito de Ipiranga, ao contrário. Que se vai repetir, Quando estiveres prestes a regressar à tua casa aqui. Porque também aí vais deixar um pouco do teu coração. A tua recompensa estará cá quando chegares junto das pessoas que amas, assim com está lá agora esperando por ti. Tu tens mesmo que ir, o dever chama-te. E não podes ficar.
- Não sei quando volto, não torno a prometer o que não sei fazer, Todos nós sabemos fazer tudo e todos nós não sabemos fazer nada. O que faz a diferença, são os estados de espírito, em que nos encontramos em cada momento.
- Minha amiga este teu poema, é lindo e maravilhoso, Das suas entrelinhas podiam tirar-se conclusões até triplicar o que eu já disse aqui. Tão grande, tão bela e tão basta é a sua mensagem. A tua poesia, Amiga teria muito mais grandeza, aos olhos do leitor, se ele leitor, lesse primeiro a biografia da autora, deste e de tantos outros poemas, já escritos, e os que hão-de ser escritos. Olha Minha amiga. O que se me oferece dizer, é que cada poema teu, É só mais uma obra-prima. Por issi o meu beijinho, e desejo de muito sucesso. Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 4 de Junho de 2009 às 10:03
Eduardo

Tu na Prosa és soberbo! Não precisas de mais!
O que escreveste é de uma beleza e de uma verdade únicas.
Disseste tudo, comentaste tudo, como amigo e
pessoa sensível que és.
Ninguém te pode trocar por outro alguém e se o
fizer, não interessa pois é mediocre, neste mundo
em que estamos a viver, a escrever, a sentir, as
nossas alegrias e as nossas tristezas.

Obrigada por tudo quanto dizes. Levo as tuas palavras comigo e acalentam a minha indecisão,
a minha partilha quando digo :

"Metade de mim - é partida
Metade de mim - é saudade."

Beijos e até breve.

Da amiga Maria Luísa


De Fisga a 4 de Junho de 2009 às 17:57
Obrigado amiga pelos elogios mas eu não sou tudo isso que tu dizes. Eu sou o melhor que posso e sei para quem como tu, merece que eu seja.
Mas também sei dar o chega para lá quando é preciso. Desejo-te tudo de bom és uma amiga. Beijinho Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 4 de Junho de 2009 às 18:32
Eduardo

Eu sei que tu sabes dizer "Basta!" e colocares um ponto final no assunto. Eu concordo!
Mas o que mandei dizer acerca do teu comentário é o que sinto e não podes dizer "Basta"!...

Entendido? Não escrevo por escrever; o que escrevo ,tem sempre, uma razão de ser , uma
verdade simbolica ou real.
Sou verdadeira no que digo!
E se digo, "tu na prosa és soberbo", tens de acreditar em ti próprio e saberes o que vales.

Tenho dito!

Isto é baseado, na grande amizade que tenho por ti

Até sempre!

Beijos com carinho,

Maria luísa


De Fisga a 5 de Junho de 2009 às 15:58
Olá Amiga Luísa. Obrigado pelos elogios. mas não mereço tanto, ainda tenho muito que aprender até me poder igualar a ti, e tu sabes que é verdade. Mas obrigado, é sempre animador saber que algo significa o que dizemos. Está a chegar a hora espero que tudo corra pelo melhor. Um beijinho de amigo Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 5 de Junho de 2009 às 16:53
Eduardo

Já te estou a responder com pressa; tenho coisas que fazer, a hora aproxima-se e depois desta resposta para ti, não torno a abrir o computador.
Desejo para ti tudo do melhor e muita saúde.
Meu amigo, até uma próxima!

Beijos de amizade da Maria Luísa


De Fisga a 8 de Junho de 2009 às 19:28
Olá amiguinha. Desejo-te tudo o que de bom tu desejas que te aconteça. Desejo-te uma muito boa viagem e uma boa estadia e bom regresso. é tudo o que te posso desejar. porque sou muito teu amigo. Beijinhos. Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 9 de Junho de 2009 às 19:47
Eduardo

Olá, meu amigo; estou saudosa de Portugal; a este
País vem-se fazer uma visita e só regressamos
passado um mês.
Como o meu marido não veio, estou bastante isolada
nesta Metrópole, onde só posso passear nos jardins do condominio. Só, por locais desconhecidos é muito
perigoso. Está a ser um tempo desagradável, tudo
muito longe, o meu filho a trabalhar e eu estou isolada, de tal forma que nem me apetece escrever.
A minha veia poética desapareceu...Tenho que aguardar muito tempo.
Não consegui chegar à Mª. João.

Beijos e muitas saudades.

Mª. Luísa


De Fisga a 10 de Junho de 2009 às 17:18
Olá Amiga Luísa. Então onde está a mulher do leme que eu conheço? não se vai a nenhum lado com essa coragem. Tens que ter calma e descontracção, só assim vale a pena estares junto do teu filho, de outra forma não. Pois se passas 8 ou 10 horas em desespero e depois 2 ou 3 horas com ele, assim a balança fica em desequilíbrio total. Vive a vida da melhor forma possível. Sê amiga de ti própria. Um beijo Eduardo Gonçalves.


De Fisga a 12 de Junho de 2009 às 11:16
Beijinhos.


Comentar post

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão