Quinta-feira, 21 de Maio de 2009

E ESPERO

 

 

 

 Imagem Internet/ Salvador Dalí / Atemporal

 

 
O avião pousa no chão,
Fatal como um relógio
Que conta o nosso tempo.
 
Eu olho o firmamento,
Onde te vais encontrar
E não me podes levar…
 
Como posso aceitar,
Este tempo que vai passar
Junto a mim…
 
Tão junto, tão perto
Que o vejo,
Como se fosse gente.
 
Tu vais lentamente,
Não olhas o que fica
E eu não quero ficar.
 
É loucura ser assim?
Como posso deixar
De ser louca,
Se te amo tanto.
 
Que interessam as palavras
Neste instante?
Basta o sentimento
Pungente,
Eloquente,
Nesta forma de dar
Completa ou não,
Medida ou desmedida.
 
Não importa,
Não conta,
Nada conta,
Só tu contas!
 
O nosso amor conta,
A ânsia da ausência
Da partida, conta.
 
E se tudo conta…
E conta!
Parto contigo,
 
É pouco o tempo
Que nos resta!
 
A tarde quente
Desce, lentamente,
A hora aproxima.
 
Tu estás envolto em mim
No pensamento,
Mas a partida é certa.
 
O avião desce brando
E vai subir num instante
E eu fico olhando…
 
As lágrimas lavam os olhos,
Não deixo o olhar fugir,
Mas tens de partir
 
E eu vou ficar!
…É esta a nossa Vida,
 
Só me resta aceitar!
 
 
Maria luísa O. M. Adães
 
publicado por M.Luísa Adães às 09:37
link do post | comentar | favorito
|
70 comentários:
De poetaporkedeusker a 21 de Maio de 2009 às 15:21
É assim, amiga. As nossas vidas vão-se tecendo nesta aceitação/não aceitação que sempre nos justificou enquanto seres humanos. Todos tão iguais... todos tão diferentes...
Um grande abraço, minha amiga!


De M.Luísa Adães a 21 de Maio de 2009 às 15:29
Mª. João

Obrigada pela tua presença; quem vai partir sou eu,
mas escrevi ao contrário; a minha liberdade poética me permite.
"Todos tão diferentes...todos tão iguais" como tu dizes.

Um abraço de agradecimento,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 21 de Maio de 2009 às 16:19
Entendo-te muito bem, minha amiga.
Tenho um blog que se chama http://liberdadespoeticas.blogs.sapo.pt/ . Não o tenho actualizado, mas podes ficar com uma ideia, se quiseres passar por lá.
Espero que tudo corra bem e que voltes assim que to peça o coração.
Abraço muito amigo.


De M.Luísa Adães a 21 de Maio de 2009 às 17:28
Mª. João
A partida está prevista para 6 de Junho.
Antecipadamente comecei a sofrer e vou continuar.
Eu sei e sinto!

Vou ao blogs que me indicas e talvez me encontre,
pois me perdi e ainda não me encontrei...

Obrigada.

Com carinho,

Mª. Luísa


De M.Luísa Adães a 21 de Maio de 2009 às 17:39
Maria João

fui às "Liberdades Poéticas" deixei comentário e
vim de novo a este lugar, também livre na forma de
escrever, dizer que tu como "poeta livre" superas
tudo quanto escreves, sem desmerecer os teus
sonetos, bem difíceis de conjugar.
Mas como sabes, eu sou uma admiradora da poesia
Livre e fiquei encantada, deslumbrada. Adorei!
Parabéns!

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 22 de Maio de 2009 às 14:17
Obrigada, amiga! Também eu gosto muito de escrever poesia livre, mas ando mesmo muito fraquita a todos os níveis. Hoje publiquei um soneto, mas ainda não me atrevo a "soltar-me". Pode parecer estranho, mas eu estive tão mal que nem conseguia escrever duas coisas com nexo. Ainda me sinto fracota, mas sei que vou recuperar!
Um beijo!


De M.Luísa Adães a 23 de Maio de 2009 às 20:47
Mª. João

Tem sido bem difícil a recuperação, eu não tenho vindo ao computador, como costume.
depois vou ver o teu soneto.
Mas já sabes, na poesia livre és colossal, no soneto,
começas com chave de prata e acabas com chave de ouro.
Obrigada poe escreveres, mas não te canses!

Beijos da amiga,

Mª. Luísa


De rosafogo a 21 de Maio de 2009 às 16:50
Maria Luísa

Este poema, fala como se da minha vida tudo conhecesses. Foi feita sempre de espera, durante quase 40 anos, ainda sinto o fechar da porta nos ouvidos, quando á segunda de madrugada o meu marido partia para mais uma semana fora.

As lágrimas nos olhos
Ele partindo lentamente
E eu não querendo ficar
Mas tinha de partir
E eu só tinha de aceitar.

Parto daqui, com uma lágrimazinha teimosa vou levá-lo comigo. COMO È LINDO ESTE POEMA, nunca nenhum me entrou tão dentro do coração, é a minha vida com a dor da ausência que é tão intensa.

LIndo, foi uma felicidade vir aqui hoje

Parabéns, um carinhoso beijinho
da Natália




De M.Luísa Adães a 21 de Maio de 2009 às 17:23
rosafogo

Com carinho recebo, o teu comentário, tão cheio de tudo.
Provável que se te conhecesse, talvez não tivesse
intuição suficiente, para te tocar o coração e contar a tua vida de ausências, durante 40 anos.
E tu só tinhas de aceitar ... nada podias mudar!

Agradeço, a forma comovente, como aceitaste e viveste o meu poema .
Não é fácil, chegar tão longe, no sentir de alguém!
Congratulo-me, por isso, deixa-me fazê-lo...estou
feliz por mim e por ti que tão bem entendes!
A ausência amplifica, o sentimento de solidão.
Obrigada!

Com amizade e ternura,

Maria Luísa



De jpcfilho a 21 de Maio de 2009 às 17:25
Olá Maria Luísa, voa o pássaro no infinito azul, levando em seu dorso o nó da saudade, muitas contas que contadas, cantadas em versos, não resgatam a perplexidadade do adeus. Vai páasaro diuturno e deixa sempre esse vazio até que voes de volta...
Lindos versos
beijos
João Costa Filho


De M.Luísa Adães a 21 de Maio de 2009 às 17:50
joão

Lindos versos, lindo comentário!

Vai e voa rápido e regressa ao meu regaço, para te
poder acarinhar e amar, como eu sei, como eu sou!

Obrigada, querido amigo, pelo alento que me dás, nesta poesia Livre que nos encanta e seduz e nos
leva ao Cimo da Piramide, ao Topo do Mundo, do
nosso Mundo.

Beijos da amiga,

Maria luísa


De Cöllyßry a 21 de Maio de 2009 às 18:18
Voa o tempo que corre a passos de Gigante, ficam as palavras que lavram no tempo...

Terno beijo, doce amiga



De M.Luísa Adães a 23 de Maio de 2009 às 21:19
Collybry

O tempo voa rápido e não o pressentimos, apenas
sabemos que ele voou , tarde... quando nos apercebemos que Ele passou.
Olhamos perplexos à nossa volta,à procura não
sei de quê ,talvez de O apanhar e poder contar
mais uns minutos ou segundos, para o segurar e
nalguns casos, "não o deixar passar tão rápido".

Ficam as Palavras - verdade, ficam as palavras
que por vezes, também voam.

Grata pela sua presença.

Beijos,

Maria Luísa


De Manuela a 21 de Maio de 2009 às 18:39
Que lindo blog este seu nada igual ao que tem na blogger.
Vejo que gosta de Dali também gosto.
Se não sabe personalizar o blog da Blogger eu posso ajudar se quiser.
Quanto ás crianças acho que só quem tem filhos pequenos sabe o quão importante é estar com eles depois do trabalho ou da escola muitos deles só vão para casa quase á hora de jantar e depois ainda têem de fazer os trabalhos os pais vêem de trabalhar e cheios de stress quase sem paciência, cada vez há menos tempo para a família.
Muitos filhos e pais só convivem 10 minutos por dia.
Que gerações estão a ser formadas.. máquinas?
Seres insensíveis?
Depois estranhamos quando alguns governantes são insensíveis em relação ao povo e seus problemas.
Claro que a sua opinião conta eu só estou a dar o meu parecer, sempre tive e tenho uns pais sempre presentes, tento seguir o seu ensinamento, a família está sempre primeiro.
Abraço grande.
Manuela

ps. vou levar o link


Image (http://www.recados.net)


De M.Luísa Adães a 22 de Maio de 2009 às 20:28
Manuela

Obrigada por ter vindo a este blogs; aqui eu escrevo e sou reconhecida por amigos, no google
não tenho ninguém, mas também não estou interessada.
Agradeço a oferta de transformar os7degraus, mas
não tem interesse. escrevo umas coisas, mas são boas, mas o público é quase inexistente.
Fico com este e trago o Mestre do Simbolismo e
Surrealismo aos meus poemas, através das imagens.
Gosto dele, muito!

Obrigada Manuela, pelos comentários que também leva ao google.

Beijos,

maria luísa


De M.Luísa Adães a 22 de Maio de 2009 às 20:35
Manuela

Esqueci-me de agradecer as lindas flores e a
simbologia que as acompanha. Foram para os Prémios, num lugar só seu!
Obrigada, uma vez mais.

beijos,

Maria Luísa


De linhaseletras a 21 de Maio de 2009 às 22:32
Adorei este seu Poema, a partida é sempre triste quer sejamos nós a partir, ou a ver partir quem nós amamos, mas a vida é feita de partidas e de chegadas.
Um abraço até amanhã


De M.Luísa Adães a 23 de Maio de 2009 às 21:04
linhaseletras

Obrigada pelo comentário que faz ao poema e é
certo - a vida é feita de partidas e chegadas, numa
forma constante, enebriante e faz sofrer muito,
quando há partida e não há chegada.

Com amizade, me despeço de si.

Maria Luísa


De Fisga a 22 de Maio de 2009 às 12:16
Olá Amiga Luísa. Procurei atentamente desmontar este pulse, feito ao contrário, que é em meu entender, um grito de desespero e de dor ao mesmo tempo. Amiga, desculpar-me hás por eu lhe chamar um pulse, e ainda por cima feito ao contrário, mas tudo é explicável, até mesmo o que se diz de inexplicável. Então porquê um pulse ao contrário? A razão é simples: As facetas, são múltiplas, e as frases também, mas todas convergem para uma mesma situação, é ela a separação de alguém que se ama. O segredo do Pulse é parecer que todas as peças são iguais e só uma serve em cada lugar, As frases emitidas neste grito, são múltiplas, mas todas com a mesma tradução, Uma separação feita de dor lamentos e lágrimas. Tu vais lentamente. Não olhas o que fica, e eu não quero, mas tenho que ficar. É loucura ser assim? Bendita seja esta loucura que se apoderou de mim. estas algumas des frases, que ficam nas entrelinhas e por isso não se vêm. As lágrimas lavam os olhos, não deixo o amor fugir, mas tens de partir. Só me resta aceitar. TENHO DE ACEITAR. É um lamento compreendido e assumido pela vítima. Não é uma birra de uma menina mimada. Daí A maior intensidade da dor. Olha minha Amiga, Eu não sei se tu choras Quando escreves, e se sentes dor no coração, Mas o encadeado das frases, dá para admitir que assim poderá ser. É um poema espectacular. É um poema muito forte. Parabéns. Um beijo Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 23 de Maio de 2009 às 20:57
Eduardo

Olhando e lendo o que escreves, deixamos de ter palavras para reponder; não há mais nada a dizer.
Tu dizes tudo, analisas com mestria os pequenos e
grandes pormenores e entendes tudo quanto digo e quanto sinto.É impossível não chorar, quando se escreve desta forma.
E alguns lêm e também choram! Mandaram dizer-me
e eu acredito!

Obrigada pela tua presença, neste recanto, onde se
fala da "Partida de alguém".

Beijos,

Maria Luísa


De Fisga a 24 de Maio de 2009 às 10:31
Olá Amiga Luísa. Muito me sensibilizam as tuas palavras, eu apenas digo o que sinto, ao ler o que tu tão sabiamente escreves, e nada mais. Só te digo que estou ansioso por saber quando é que sai o livro onde hão-de vir todos estes poemas. Parabéns mais uma vez. Um beijo Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 24 de Maio de 2009 às 11:20
Eduardo

Os poemas, estão na mão, do Vereador da Cultura de Almada; aguardo decisões.
com pena minha, vou para o Brasil dia 6 de junho.
Até lá, ainda vou deixar um poema com a minha
partida. Sinto-me triste! Mas prometi e não me deixam faltar ao prometido.
Não torno a fazer promessas! Ainda te torno a escrever - espero!

Mª. Luísa
Almada


De Fisga a 24 de Maio de 2009 às 16:13
Olá Amiga Luísa. Espero que possas levar o computador. Pois se não o levas, ficamos desfalcados de um bom elemento que nos faz muita falta. E vais ficar muito tempo? Não podes deixar-nos por muito tempo, vê consegues levar o bichinho pensador. Beijinho Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 24 de Maio de 2009 às 19:06
Eduardo

O problema é que o meu marido não pode ir e eu
prometi estar em São Paulo nos anos do meu filho.
Não posso recuar e não levo ajuda para as coisas que pretendo levar; se o computador for uma coisa a mais, não vai e eu escrevo uns versos, a despedir-me.
Não sei quanto tempo vou ficar, mas espero voltar.
Mais próximo do dia 6 te digo alguma coisa de concreto.
Mas pensei em colocar uns versos de despedida!

Aquele poema teu, pode entrar na dança do Free e
vai ganhar! Sabes a que me refiro.

Beijos,

Maria Luísa


De Fisga a 25 de Maio de 2009 às 11:39
Olá Amiga Luísa. Obrigado pela tua sugestão. Mas independentemente, de ter ou não boa possibilidade de ganhar, não iria concorrer agora, por várias razões, mas em especial por uma, que é o próprio poema, Nunca iria fazer daquele poema uma espécie de troféu, Não gosto e nem aprovo a concorrência desleal, e seria o que eu sentia agora se concorresse com ele. Mas agradeço a tua sugestão. Quanto à tua ida pois tu é que sabes melhor da tua vida. e eu só tenho que respeitar assim como os de mais amigos. Um beijo Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 25 de Maio de 2009 às 14:32
Eduardo

Aquele "Amor" já tenho a certeza, é ela, só que ainda não tornou a escrever, mas vai escrever, os espiritos (coitados) mandam e ela obedece.

Vou escrever um poema final de Partida, fica por um mês e não levo computador. Decidido!

Tenho pena que não tenhas levado o teu poema.
Merecia!

Beijos,
Mª. Luísa


De Fisga a 25 de Maio de 2009 às 18:03
Olá Amiga, ainda bem que já sabes que é ela. Eu já avisei o Fre e tenho impressão que ainda não avisei a estrelinha, não me lembro. Há duas coisas que não se podem fazer, responder a comentários e adicionar. Tenho pena que não leves o computador, mas paciência. tu é que tens que decidir. Beijinho E quero desde já desejar-te uma muito boa viagem de ida e de volta. Tudo de muito bom. Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 26 de Maio de 2009 às 09:33
Eduardo

Sabes vou só e um pouco nervosa, pois a viagem directa é de 9h30; o computador vai atrapalhar-me e eu sinto necessidade, tal como tu fizeste, de o colocar em descanso.
Mas para a semana, eu vou deixar o último poema,
trata da minha partida ( Tenho De Partir), neste poema eu sou a personagem que parte e ninguém
protesta e eu tenho mesmo de partir.
Está bom e as pessoas vão perceber que não é ficção.
Mas podes escrever no poema, sempre que queiras.
Quando voltar, respondo a todos que não me
esqueceram! E tu és um deles, espero!
Não vou adicionar ninguém!
Beijos,

Mª. Luísa

p.s. ainda vou estar esta semana e na próxima,
parto no Sábado.
O poema vai saír no princípio da semana e eu ainda
vou responder, a quem escrever.

Beijos,

Mª. Luísa


De Fisga a 26 de Maio de 2009 às 17:30
Olá Amiga Luísa. Olha minha Amiga: desejo-te o melhor, que tudo te corra como desejas e que voltes com saúde e boa disposição. que eu pela minha parte cá te espero com saudade. Sê muito feliz que a vida é muito curta. Beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 27 de Maio de 2009 às 10:38
Eduardo

Ainda vou deixar um poema com o nome "Tenho de Partir" e ainda vou responder aos comentários que me façam até 5 de junho.
Quando regressar, respondo a todos que entretanto, continuaram a conversar comigo, a
desabafar, a contar milhentas coisas e eu vou gostar de os encontrar.
Nada vai mudar; apenas um interregno para nos
encontrarmos a nós próprios e encontrar a força,
para a caminhada!

Beijos e continua a dar noticías.

Maria Luísa


De Fisga a 30 de Maio de 2009 às 17:15
Olá Amiga Luísa. Antes do mais as minhas desculpas pelo atraso, mas é assim, não consigo manter a escrita em dia, este já nem tu contavas coma resposta, mas eu sou assim, posso pagar tarde por falta de provisão, mas pago sempre, e a prova é que estou aqui. Desculpa mais uma vez. Eu a pesar de andar sempre atrasado mesmo assim parece que só de me falares em partir, já sinto saudades tuas. mas eu sei que tu voltas. Só desejo que tudo te corra como desejas. Um grande beijinho deste amigo que te deseja todo o bem do mundo. Eduardo Gonçalves.


De M.Luísa Adães a 30 de Maio de 2009 às 18:13
Eduardo

Eu sinto saudades antecipadas e custa-me ir só ,
numa viagem de 9h30m, mas não posso desistir, dei a minha palavra e não posso faltar.
Não posso levar o pc, pois falta-me apoio no ir e vir
de avião.
E vou fazer como tu, vou descansar e depois se vê
quando voltar.

beijos da sempre amiga,

Mª. Luísa


De Fisga a 31 de Maio de 2009 às 09:40
Olá Amiga Luísa. Olha é assim: Eu falo por mim e sei que vou sentir muito a tua falta. Mas também sei que vai ser uma grande alegria para mim quando tu chegares. E também compreendo que tu também tens direito a um descanso. e o corpo não é de ferro. Fazes muito bem em fazeres assim vai amiga que eu vou ficar contigo no meu pensamento. E esperando serenamente, o teu regresso. Beijinho Eduardo.


De M.Luísa Adães a 31 de Maio de 2009 às 10:38
Eduardo

Espera serenamente e transmite essa serenidade
à minha forma de sentie para que eu seja envolvida por essas "ondas de pensamento" que nesta hora,
tanta falta fazem ao meu viver.
Como eu disse no poema : "Vai, não voltes para mim
o teu olhar,
eu não vou chorar, não vou reter o teu caminhar..."

Que as ondas salutares e serenas do teu ficar,
sejam a força que me vai acompanhar!

Beijos com carinho,

Maria Luísa


De Fisga a 31 de Maio de 2009 às 18:25
Olá Amiga Luísa. Vamos todos torcer para que os teus ideais sejam uma realidade bém depressa consumada. beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 31 de Maio de 2009 às 18:40
Eduardo

Obrigada a ti e a todos, no desejo sincero e terno ,de transformar os meus sonhos em realidades.

beijos da amiga,

Mª. Luísa


De Fisga a 31 de Maio de 2009 às 18:54
Assim seja cumprida a tua agradável simpatia e gratidão. Beijo Eduardo.


De M.Luísa Adães a 31 de Maio de 2009 às 19:04
Eduardo

E assim seja feito como tu dides!

Obrigada pela" minha agradável simpatia e gratidão".
Sempre amável.

Bºs Mª. Luísa


De Fisga a 25 de Maio de 2009 às 19:52
Sim Amiga é ela sem dúvida, tens que ter cuidado, não comentar, não responder a comentários dela e acima de tudo não a adicionar. Beijo Eduardo.


De M.Luísa Adães a 26 de Maio de 2009 às 09:15
Eduardo

Ela introduziu-se, não a adicionei nem o vou fazer.
Mas já escreveu e o estilo, mais moderado, por
enquanto, é reconhecível.

Obrigada pelas noticias,

Mª. Luísa


De Fisga a 26 de Maio de 2009 às 17:41
Eu ainda não dei conta dela no meu blog, mas se ela aparecer, eu não lhe respondo a nada, que ela há de chegar à triste conclusão que por aqui já não se governa. Beijo . Eduardo.


De Manuela a 22 de Maio de 2009 às 16:46
Olá Luisa já tinha comentado aqui mas não vejo o comentário, se calhar não ficou.
Desejo um bom fim de semana.
Beijo
Manuela


De 7sentidos a 22 de Maio de 2009 às 19:08
Belos poemas!

*


De M.Luísa Adães a 22 de Maio de 2009 às 20:17
7sentidos

Obrigada por gostar; agradeço a sua presença.

Maria luísa


De Ana a 22 de Maio de 2009 às 19:11
Olá, vim só deixar um beijinho e retribuir a visita!
Adorei o seu cantinho, em especial porque tem fotos de quadros do meu pinto favorito, Salvador Dali.


De M.Luísa Adães a 22 de Maio de 2009 às 20:11
Ana

Obrigada pela visita; gosto muito de Dalí, a incrivel combinação de imagens bizarras, oníricas, com excelente qualidade plástica.
No surrealismo Dalí disse:

"Eu sou o próprio surrealismo";
esculpia,
desenhava como se de um Deus se tratasse.
Adoro Dalí . Ainda bem que gostou do meu recanto.

Agradeço a sua presença e as suas palavras.

Mª. Luísa


Comentar post

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão