Sábado, 18 de Abril de 2009

RETRATAR

 

 

 

 

 

 

 Imagem Internet / Salvador Dalí/ Ascensão de Cristo

 

 

 
Retratar o mundo
Através das palavras,
O sentir
Das suas mágoas,
As dores,
As alegrias,
Os desconfortos,
A esperança nos dias.
 
Retratar pessoas,
Acontecimentos menos bons,
Outros à deriva
Pelas noites frias e fechadas
Ao som dos ruídos do silêncio,
Dessas mesmas noites
Misturadas, com a agonia
Do aparecer do dia.
 
Retratar as coisas,
Medir as distâncias,
Reconhecer os caminhos,
Falar com os mendigos,
Exultar os sem esperança
E os sem abrigo
E reconhecer neles,
 
“A minha face perdida
Nos espelhos partidos
Da minha vida!”
 
Retratar os sons,
Aos ouvidos
De quem não ouve
E tanta falta faz – ouvir,
Para poder dissertar
E ao longe escutar
Os barulhos do silêncio
Em surdina
A contar, a última rotina.
 
E tanta falta faz – ouvir,
Para entender o mundo
Tão difícil de entender.
 
Retratar
Quem não ouve,
Para repetir o que ouvir
E dar alento a essa falta
E manter a ilusão
De que o ouvir
Ou não ouvir,
Não importa!
 
Manter essa ilusão
Como uma verdade
Inconsciente ou não.
 
Retratar, revelar,
Mostrar no rosto
Um outro rosto
E esquecer os outros rostos,
Perdidos na noite
Escura e agreste
Dos silêncios,
De quem não ouve
De quem não sabe…
 
Que não torna
A Ouvir!
 
Retratar sempre e sempre
E amar!
 
Maria Luísa Adães
 
publicado por M.Luísa Adães às 15:32
link do post | comentar | favorito
|
43 comentários:
De cuidandodemim a 18 de Abril de 2009 às 16:26
Maria Luísa, você retrata muito bem aquilo que sente e vê nos seus poemas.
Eu também tento fazer isso, por simples palavras, no eu blog, mas são meros desabafos que ponho "para fora", para me sentir mais leve. Retrato por vezes outras pessoas, um pouco do mundo, mas essencialmente a mim própria...
Bjns


De M.Luísa Adães a 18 de Abril de 2009 às 17:07
cuidandodemim

Maravilhoso o encontro ao voltar da esquina e dizer" Olá, como vai ?"Eu estou melhor e você como está? E encetamos um diálogo através do que
escrevemos - que bom!
E agora uma surpresa, aquela a quem retrato hoje,
sou eu! Eu, os outros, o mundo, a vida, os humilhados, os sem abrigo e os que perderam o
sentido da audição.

"A face perdida
Nos espelhos partidos
Da minha vida!"

Sim, retrato o que sinto e o que vejo e esse personagem que ouve mal - sou eu!...

Também gosto do seu retratar em desabafos; do seu
ficar mais leve...
E retrata o mundo onde trabalha e muito bem e as
pessoas que vai conhecendo e muito bem!
E essencialmente a si própria, como eu faço tantas
e tantas vezes.
E nesse aspecto, de mim própria, este, é dos poemas mais completos.

Obrigada por a encontrar!

Beijos,

Maria Luísa


De Simbologia do aMoR a 18 de Abril de 2009 às 16:35
E quanto não retratamos tudo isso!
Todo nosso sentir.

Um abraço.


De M.Luísa Adães a 18 de Abril de 2009 às 16:50
re-nascer

Que bom encontrá-la , assim, neste momento;
que bom sentir o seu interesse;
que bom saber que tenho uma boa amiga;
que bom entender-me;
que bom não me esquecer;
que bom receber a sua escrita;
Que bom saber que me lê e entende e gosta;
que bom, minha amiga!
que bom estar presente neste blogs;
que bom ser como é;

adorei encontrar o seu comentário; obrigada,

Bºs, Maria Luísa


De Simbologia do aMoR a 18 de Abril de 2009 às 19:24
Nada há por agradecer. Simplemente gosto de ler o que é belo e o que é escrito com sentimento, com a alma. E aqui no teu blog encontra-se exatamente isto.

Abraço.


De M.Luísa Adães a 19 de Abril de 2009 às 10:05
re-nascer

Gostei do que li e ainda bem, por mim e por ti, encontras neste blogs, sentimento e alma, na forma como é escrito e apresentado, sem pretensões, mas
com toda a minha verdade e a minha Alma que não
é minha, pertence a Deus!

Obrigada por procurares e encontrares! Agradeço
sempre!

Beijos ,

Maria Luísa


De Júlia a 18 de Abril de 2009 às 20:50
Olá Maria Luísa

É curioso... ainda hoje conversei com "os meus miúdos" :), sobre o tema que, me parece, retrata - a indiferença e o desânimo de muitos de nós.

Que os nossos sentidos estejam sempre bem alertas!
Beijinhos e obrigada pela visita ao meu blog.


De M.Luísa Adães a 19 de Abril de 2009 às 09:43
Julia

Olá como vai? Há algum tempo que não a via (do verbo ver) engraçado, como escrevemos vendo ao pé de nós a pessoa que não vimos e não conhecemos
(ou conhecemos?) . Gostei de a encontrar, no meu
poema "Retratar".

Diz bem, quando diz : "Que os nossos sentidos estejam sempre bem alerta".

E eu faço referência no poema: "À minha face perdida
Nos espelhos partidos
Da minha vida!"...

Gostei da forma como vi
E senti o que escrevi.
Gostei disso e da sua presença neste lugar;
Bem vinda seja e ao seu comentário!

Com amizade,

Maria Luísa


De 100timento a 19 de Abril de 2009 às 16:35
Tudo quando um simples olhar retrata qualquer palavra...tantas vezes que se cale a boca e se deixe falar o coração e é num olhar que se escuta esse mesmo falar.
Beijinho amiga e bom domingo


De M.Luísa Adães a 19 de Abril de 2009 às 18:58
100timento

Um simples olhar retrata o mundo, o submundo, a alegria, a tristeza e : - )

"A minha face perdida
Nos espelhos partidos
da minha vida!"

Obrigada pelas tuas palavras ao poema "Retratar".
Agradeço a tua presença!

beijo amigo,

Maria Luísa


De blogando-me1 a 19 de Abril de 2009 às 18:09
Image


De M.Luísa Adães a 19 de Abril de 2009 às 18:52
blogando-me1

Obrigada pelo miminho; passou ao blogs dos Prémios
como recordação de amiga ao poema "Retratar".

Obrigada,

Maria Luísa


De Fisga a 19 de Abril de 2009 às 18:23
Olá amiga Luísa. Retratar. Retratar o mundo: Olha amiga tu retratas o mundo, e não só. Tu retratas também o submundo, São os que não ouvem, os que não vêm, os sem abrigo, os que agonizam, os mendigos e os desesperados. Tu retratas o mundo em toda a sua essência, com todas as venturas e desventuras, com todas as riquezas e misérias, com todos os seus orgulhos e desgraças, com todas as suas alegrias e tristezas. Este teu poema é uma biografia do mundo, contada e cantada em poesia. Da maneira mais clara e resumida, mas facilmente entendível, que é possível. Tu sobes de nível qualitativo, a cada novo poema que fazes. Tenho pena que não tenhas esperado mais um ou dois dias, este poema vai fazer esquecer o anterior. O que é uma pena. Beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 19 de Abril de 2009 às 18:42
Eduardo

Tu deixaste um comentário de assombro! Excepcional na forma de análise do poema.Sim, retrato o mundo e o submundo, alegrias e tristezas
e os tropeços do caminho; era tão intenso que não poude esperar mais um dia ou dois. Pode fazer esquecer as Rosas vermelhas, mas eu hei-de voltar
e tornear o tema de novo.

Obrigada pelo teu comentário; está extraordinário,
como se fosse outro poema, em homenagem ao
Primeiro!Fiquei sem palavras!Tu és a" Caixa de
Pandora.
beijos,

Maria Luísa

Fiquei sem palavras!


De Fisga a 20 de Abril de 2009 às 12:30
Olá amiga Luísa. Obrigado pelo elogio. Mas não é nada amais do que o poema merece. Caixa de Pandora. Sabes que da caixa de Pandora, pode sair uma coisa bem simples, basta para isso ser inesperada. Mas obrigado mais uma vez fico muito feliz por ti e por mim. Beijinho Eduardo.


De M.Luísa Adães a 20 de Abril de 2009 às 19:55
Eduardo

O que disse, foi o que senti quando li o comentário;
chamo-te caixa de Pandora e és!
Saem de ti as coisas mais inesperadas, no bom
sentido, além de seres um homem honesto e justo.
Disse e torno a dizer, o comentário é um espectáculo.

Fica feliz. pois eu conheço o valor do que se escreve.

Beijos,

Maria Luísa


De Fisga a 21 de Abril de 2009 às 15:05
Olá amiga Luísa, Fico muito gratificado, com os teus elogios, embora me custe caro para manter a esperança de os saber merecer. Mas sinceramente e sem falsas modéstias, não me acho assim nada de mais. Embora gostasse de conhecer bem certas vertentes da escrita, que também não conheço. Mais uma vez vim ler o teu post . retratar, e curioso, a cada vez que o leio encontro mais alço em que não tinha reparado. Tal como tudo o na vida, nada é tão bom na primeira vez como na 2ª 3ª 4ª e por aí fora. Beijinhos. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 21 de Abril de 2009 às 16:55
eduardo

Quando digo:

De quem não ouve
De quem não sabe...

Que não torna
A ouvir!

refiro-me aos deficientes auditivos de quem ninguém se lembra - apenas contar anedotas
miseráveis, acerca da surdez.
Esta deficiência é muito complexa e atinge, também, muitas crianças.
Quem repara neste pormenor? Ninguém!
O poema fala de todos os desgraçados deste mundo.
E os surdos, entram nesse roda de miséria.
É um poema muito abstracto, mas fala de tudo
quanto é real!
diz-me se levas o estudo das "Rosas vermelhas" ao
teu blogs.
Com amizade,

Mª. Luísa



De Fisga a 21 de Abril de 2009 às 17:47
Olha amiga Maria Luísa. Estou sem palavras. Com tantos e grandes elogios que eu acho não mereço, mas não deixo de agradecer por isso. Pois é a ti e ás outras pessoas amigas que cabe julgar. Um grande beijinho E melhoras. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 21 de Abril de 2009 às 17:53
Eduardo

É a nós que cabe julgar! Parabéns!

Da amiga,

Maria Luísa


De Fisga a 21 de Abril de 2009 às 18:11
Amiga Luísa está tudo dito, não se fala mais no assunto. Beijinho Eduardo.


De oriona a 19 de Abril de 2009 às 19:48
Lindo poema! Retratar
Através das palavras o nosso sentir, e fizeste isso, retratou teu sentir e acima de tudo o Amor.

Vim deixar um forte abraço para ti e desejar uma linda semana de muita Paz!


De M.Luísa Adães a 20 de Abril de 2009 às 10:42
Oriona

Sim, acima de tudo o amor como base imprescindível
do bem de toda a Humanidade.

Retratar a indiferença, perante quem sofre;
Retratar os flegelos a assolar o mundo;
Retratar a nossa própria vida e os desalentos e
sofrimentos, dessa mesma vida...
E trazer tudo ao cimo e curar o mal com o Amor!

É o que sinto e o que sou, retratado no poema que
diz muito mais, no intimismo abstracto, de quem
escreve e sofre, nesse escrever.

Obrigada e o meu desejo de uma boa semana.

Bºs, Maria Luísa


De jpcfilho a 19 de Abril de 2009 às 21:49
Olá Maria Luísa, retratar através das palavras e das emoções é tua arte, retratar o homem mendigo, o menino perdido, as mulheres dos farois, A tua face perdida dentro do espelhdo dos olhos, retratar a ilusão é a tua prraia, e teu dever de poeta..
Lindos veersos.
beijos
João Costa Filjo


De M.Luísa Adães a 20 de Abril de 2009 às 09:38
João

O teu comentário comoveu até umas pequenas lágrimas que subiram, não sei de onde, aos meus olhos e correram na :

"minha face perdida
nos espelhos partidos
da minha vida!"

É este o meu dever de poeta - dizes tu - e eu
acredito em ti!

Lindo comentário aos meus queridos versos;
obrigada por seres como és e sentires como sentes.

Beijos co amizade,

Maria Luísa


De Maria a 19 de Abril de 2009 às 21:51
Costuma-se dizer que uma boa foto vale mais que 100 palavras, mas neste poema, não haveria foto que retratasse tão bem o que a Mª Luisa retratou.
Parabéns.


De M.Luísa Adães a 20 de Abril de 2009 às 09:28
Maria

É uma honra receber o teu comentário,

"Não haveria foto que retratasse tão bem o que
a Mª. Luísa retratou".

E diz tudo, nada posso acerescentar, apenas agradecer.

Com amizade,

Maria Luísa


De maripossa a 19 de Abril de 2009 às 22:26
MARIA LUÍSA.NADA MELHOR QUE RETRATAR POESIA EM PALAVRAS COM MUITOS SENTIDOS,QUE TODOS NÓS PODEMOS DAR.
BEIJINHO DE AMIZADE LISA


De M.Luísa Adães a 20 de Abril de 2009 às 09:15
Maripossa

Sim, com muitos sentidos e muitas coisas que ficaram por dizer e podiam ter sido ditas.
Os poemas ficam sempre, inacabados!...
Por vezes e houve agora um caso desses, alguém lhe deu um final na resposta, usando um outro poema, em resposta ao primeiro.
Agradeço a tua presença amiga e o teu comentário,
muito bom e sensível.

Beijos de amizade,
Maria Luísa


Comentar post

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão