Quarta-feira, 15 de Abril de 2009

ROSAS VERMELHAS

 

 Imagem Internet / Salvador Dali

 

 

Pedi um ramo de rosas
Vermelhas
Sensuais,
Salpicadas de orvalho,
Ardentes,
Como nós somos.
 
E tu de olhar solene
Recusaste sem falar,
As rosas vermelhas
Do meu sonho
De encantar.
 
Recusaste,
Não analisaste
Indiferente
Ao meu pedir,
Por eu escrever
Sobre as rosas
Do meu jardim
E não escrever
Do meu amor por ti.
 
 
Recusaste,
Olhaste em frente
Absorto
- E que viste?
 
Rosas de várias cores
Desfolhando luz e amor
No jardim de mil tons,
Mas sem o calor
Das rosas vermelhas de cor,
Do meu amor sensual, ardente.
 
E faço gáudio
Em ter rosas vermelhas,
Como o sangue
Que grita,
Como o sensual
Que exalta
E nos lembra
O primeiro amor,
Feito de fogo e dor.
 
Mas nunca mais esquece,
O calor daquele fado
Que canta, sem cantar,
E o que se escreve
Sem escrever.
 
E por tudo isso
Recusaste,
As rosas vermelhas
Que te pedi.
 
Que cruel foste,
Meu amor!
 
Maria Luísa Adães
 
publicado por M.Luísa Adães às 04:53
link do post | comentar | favorito
|
77 comentários:
De 100timento a 15 de Abril de 2009 às 09:40
Estranho ...por mim falo, como é possivel tantas vezes não ver-mos o que está bem á frente dos nossos olhos...como é possivel ter de ouvir sem tentar perceber as mesmas palavras com um simples e sentido olhar...
Lindo vou levar se não te importas fica nos favoritos.
beijinho e um doce dia


De M.Luísa Adães a 15 de Abril de 2009 às 09:56
100timento

Lindas as tuas palavras; agradeço teres gostado e levares para os "favoritos".
Obrigada pela tua presença amiga.

Beijos,

Maria Luísa


De Fisga a 15 de Abril de 2009 às 12:31
OLÁ AMIGA MARIA LUÍSA. Que cruel foste meu amor. É assim mesmo amiga, o amor é cruel. porque amor, é dor, amor é sofrimento, amor é tormento, amor é perder e chorar a pena causada pela perda, amor é tudo isso e muito mais. Parabéns amiga pelo poema que é espectacular. olha eu como de costume, adicionei aos meus favoritos, porque acho que foste muito feliz na tua criação poética. Beijinho e mais uma vez Parabéns. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 15 de Abril de 2009 às 12:45
Eduardo

Obrigada por ser um "favorito";
amor é tudo isso que escreves e eu disse-: )

"Que cruel foste meu amor"

E este final, fecha o poema!

Agradeço o teu comentário, a tua presença e a
escolha.

Beijos,

Maria Luísa


De Fisga a 15 de Abril de 2009 às 17:53
Pedi-te um ramo de rosas vermelhas. E por tudo isso recusas-te. Não me ofereces-te. Que cruel foste, meu amor. Este lamento é dolorido, triste, e como que submisso, ao peso de uma negação. Beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 16 de Abril de 2009 às 09:26
Eduardo

Sim, "submisso ao peso de uma negação"; merecia o
ramo de "Rosas Vermelhas" e o poema define bem
a candura do pedido, a submissão à recusa e a
crueldade, da falta de palavras.
Obrigada, meu amigo, por entenderes tão bem.

Com ternura,

Maria Luísa


De Fisga a 16 de Abril de 2009 às 16:00
Olá amiga Luísa. Espero que estejas melhor. Quanto à tua resposta, é assim: Eu nunca fui um bom aluno a Português, mas a linguagem do amor é universal, essa eu entendo-a. Beijinhos e melhoras. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 16 de Abril de 2009 às 20:07
Eduardo

"A linguagem do amor é Universal" e as Rosas têm
um valor simbólico, Eterno!
Podia contar-te tantas coisas verdadeiras, vistas por mim, in loco, fora de Portugal que te mostrava
através dos séculos, o valor dessas Flores e a
linguagem que as precede.
É isto meu amigo, percebo o Amor e o simbolismo das Rosas.

Estou melhor, beijos
Mª. Luísa


De Fisga a 17 de Abril de 2009 às 19:47
Olá amiga Luísa. Obrigado por me dizeres que estás melhor, e também pela explicação que me dás sobre o amor e sobre o valor simbólico e anímico das flores. Olha amiga, eu sou por natureza, despegado dos bens materiais, e sou feliz por ser assim, embora saiba que os bens materiais, fazem muito jeito quando bem geridos, mas Eu sempre prezei muito mais uma prenda de anos ou outra, composta por flores, do que uma prenda de valor monetário. As flores para mim são mágicas, como prenda então são poesia autentica. O amor é o alimento principal de qualquer ser vivente, a começar pelas crianças. Beijinhos Minha amiga e as tuas melhoras. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 17 de Abril de 2009 às 20:05
Eduardo

Concordo contigo. As flores são magia, amor, encanto, poesia, também as prefiro a uma prenda
material que por vezes não interessa.
Hoje ofereceram-me (meu marido) 3 rosas vermelhas...Um encanto!

Beijos da amiga,

maria Luísa


De Fisga a 17 de Abril de 2009 às 21:31
Parabéns. Isso significa que ele tem uma esposa que merece. de outra forma não te ofereceria as flores. É assim minha amiga, nem todas as pessoas que semeiam colhem, mas a maioria colhe. Bem haja a previdência divina. beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 18 de Abril de 2009 às 12:18
Eduardo

E até falas da "Previdência Divina"; semeei e colhi...
Ele leu o poema, gostou e deu-me razão, em troca
trouxe três rosas vermelhas. Lindo!

beijos para ti,

Maria Luísa


De Fisga a 18 de Abril de 2009 às 20:26
Olha amiga Vês como o vinagre se pode transformar em mel? Quanto à previdência divina, Eu quis dizer que quem semeia sempre colhe. Beijinho Eduardo.


De M.Luísa Adães a 19 de Abril de 2009 às 09:54
Eduardo

O que eu li foi que disseste da "Previdência Divina"
e achei interessante... E é certo, "quem semeia
colhe o que semeou", e tu tens semeado bons sentimentos, amizade e ternura - vais colher!
Dá-me um pouco da tua colheita!

Bºs, Mª. Luísa


De Fisga a 19 de Abril de 2009 às 12:23
Olha minha querida amiga. Podes contar incondicionalmente com a minha amizade e com a minha ternura, é com muito prazer que eu faço isso. Porque tanto a amizade como a ternura e até o amor, se transformam numa pescadinha de rabo na boca, quanto mais dou mais tenho. E a ti acontece o mesmo, toma disso boa nota minha amiga. Quanto mais dás, mais tens. Beijinhos De amigo do peito, Eduardo.


De Simbologia do aMoR a 15 de Abril de 2009 às 14:49
Oi Maria Luísa

Vim retribuir a visita ao meu blog

E vejo esta maravilha.
E vou colocá-las no meu favoritos.

Abraço.


De M.Luísa Adães a 15 de Abril de 2009 às 14:57
re-nascer

Obrigada por gostar e o juntar aos seus "favoritos".

Agradeço a visita e o comentário, muito bom!

Beijos, da

Maria Luísa


De mafalda a 15 de Abril de 2009 às 14:56
olá, Maria Luísa!
como pode alguém recusar-lhe as rosas vermelhas? é um crime injusto! ;)

"E faço gáudio
Em ter rosas vermelhas,
Como o sangue
Que grita,
Como o sensual
Que exalta
E nos lembra
O primeiro amor,
Feito de fogo e dor"

está lindíssimo.
beijinhos.


De M.Luísa Adães a 15 de Abril de 2009 às 15:21
Mafalda

Obrigada por gostares e por o achares " lindíssimo".

Mas foi verdade! Pedi as rosas vermelhas e ele
recusou sem falar e eu escrevi o poema.

Beijos muitos,

Maria Luísa


De angel13 a 16 de Abril de 2009 às 15:34
Não gosto de ti.


De M.Luísa Adães a 16 de Abril de 2009 às 20:22
Angel13

Não gostas de mim? Paciência! Pode ser que passe,
como as nuvens negras de tempestade.
Se não passar...Aceita-se!


De mafalda a 16 de Abril de 2009 às 21:56
Maria Luísa, olá.
eu julgo que o angel13 deixou esse "recadinho" para mim... deixe lá :)
beijinhos.


De M.Luísa Adães a 17 de Abril de 2009 às 18:00
Mafalda

Será que ele vem ao meu blogs deixar recados para ti ? Por mim, é-me indiferente, por ti não sei.. Me parece que não é para entender e sim para esquecer!
Gosto sempre de te encontrar e mais, eu gosto de ti!

Beijos,

Maria Luísa


De angel13 a 3 de Maio de 2009 às 17:15
As nuvens são, no máximo, cinzentas. Racismo???!!!!! Aceito o teu amor, mas casar, não caso!!!!!!! Serà na verdade um caso?????


De M.Luísa Adães a 3 de Maio de 2009 às 19:45
Angel13

As nuvens são cinzentas, brancas e das cores que as pintares; depende da disposição de cada pessoa,
do dia, da alegria, ou não...

Gostei dos teus comentários, sempre prontos e na hora certa e ainda, da tua presença.

Maria Luísa


De mafalda a 16 de Abril de 2009 às 21:57
se isso é para mim (como eu julgo que seja) pois é para o lado que eu durmo melhor.


De M.Luísa Adães a 17 de Abril de 2009 às 19:02
mafalda

Não sei de nada, mas ele é um indivíduo que finge ser, uma pessoa estranha, mas na minha opinião, é
como qualquer outra pessoa. Veio para a Net para
desabafar e ser levado a sério! Mas para mim é-me
indiferente, desde que ele não vá mais longe ...

Fica bem! Maria Luísa



De cuidandodemim a 15 de Abril de 2009 às 15:23
Maria Luísa,
Um pedido desses não se recusa. Não se deve ser indiferente perante este pedido nem sentir ciúmes de umas rosas vermelhas...
Bjns


De M.Luísa Adães a 15 de Abril de 2009 às 15:29
cuidandodemim

Obrigada pela tua presença neste pequeno recanto.
Este não é ficção; eu pedi as rosas vermelhas e
ele recusou sem falar e eu escrevi o poema. E aí
está, o meu sentir.

Beijos,

Maria Luísa


De linhaseletras a 15 de Abril de 2009 às 15:35
Rosas vermelhas são o símbolo da Paixão , eu deduzo que não havia Paixão, pela simples recusa de oferecer o que tinha sido pedido.
Mas não perca a esperança, que há-de haver alguém que sem lhe pedir lhe vai oferece um grande ramo dessas lindas flores.
Um beijo


De M.Luísa Adães a 15 de Abril de 2009 às 15:54
linhaseletras

Fico feliz por a encontrar neste blogs e comentar
"Rosas Vermelhas"; sim são o símbolo da Paixão e de tantas coisas mais...
Recusar sem falar é não entender e eu escrevi o poema para que me entendam.
E a esperança é a última coisa a perder.
Não perco a Esperança!

Obrigada pela sua presença.
Beijos,

Maria Luísa


De Simbologia do aMoR a 15 de Abril de 2009 às 16:13
Oi Maria Luísa

Reescrevi em respota o teu sentir "Rosas Vermelhas", pois também este que escrevo, ou escrevi sobre "Rosas" também não era ficção.

Um abraço.

Ps. Também com novo blog Http://naturezaemfotos.blogs.sapo.pt

Abraço.


De M.Luísa Adães a 15 de Abril de 2009 às 16:39
RE-NASCER

Tambèm o teu não era ficção? O meu, também é
real!
Tomei nota do novo blogs:

Beijos,

Mª. Luísa


De Maria a 15 de Abril de 2009 às 23:08
Mª Luisa

Adorei o seu poema Pois tem Amor,RosasBjs


De M.Luísa Adães a 16 de Abril de 2009 às 09:20
Maria

Obrigada por entender esse poema, de rosas sensibilidade e amor.
Dificil, foi a recusa sem palavras.

Obrigada por ter gostado; foi escrito com a Alma
e o sentimento de mágoa.

Beijos com ternura,

Maria Luísa


De Just Moments a 16 de Abril de 2009 às 00:47
E quem recusa uma rosa ??
E porque??
Ciumes??

Que crueldade!!
Não posso oferecer uma ramo, mas deixo aqui uma rosa virtual..
e está lindo..um dos mais bonitos que li até hoje!!

Talvez a recusa dessa pessoa, seja o motivo de este poema "transparecer" magoa, mas escrito com a alma!!

Beijinhos


De M.Luísa Adães a 16 de Abril de 2009 às 09:13
Just Moments

Sim, foi escrito com a alma e a mágoa da recusa;
isso faz com que ele toque os corações dificeis e os
românticos. Todos estão envolvidos por essa crueldade e todos a sentem, à distância... da Dimensão, em que eles foram escritos e sentidos.

Obrigada pela "Rosa Vermelha" virtual e por gostares do poema e o achares lindo!

Beijos com ternura,

Maria Luísa


De jpcfilho a 16 de Abril de 2009 às 01:17
Olá Maria Luísa, se regaste as rosas vermelhas, se adubaste a rosas vermelhas, e a ela deste toda atenção, não é para menos que teu amor tenha sentido-se despetalado, abandonado. E o amor continua cruel.
lindos versos.
beijos
João Costa Filho


De M.Luísa Adães a 16 de Abril de 2009 às 09:05
João

Onde existem sentimentos não há época a definir;
sentimentos estão num tempo atemporal, numa outra Dimensão - um outro mundo!
E eu tinha todas as rosas, mas não tinha as Vermelhas e pedi... salpicadas de orvalho, sensuais,
ardentes e sem palavras foram recusadas.
O poema conta o acontecido e muito bem, eu nada
posso acrescentar.

Agradeço a tua compreensão quando dizes : - )
"E o amor continua cruel".

Obrigada gostares dos meus versos.

Beijos da amiga,

Maria Luísa


Comentar post

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão