Sábado, 28 de Março de 2009

ELE SABIA!...

 

 

 

Imagem Internet/ Salvador Dali

 

 

 

Onde se reflecte ódio
E abomina amor.
 

 

Ele não amava
Nada sentia por mim,
Mas não esquecia
Que se vingava
De forma fria
De alguém
Que o amava.
 
 
Ele sabia!...
 
 
Mas com alegria
Nefasta e rude
Perseguia e matava,
 
 
Sentimentos,
Alegria,
Amor,
Vida
E a luz que iluminava.
 
 
Ele sabia!...
 
 
E tarde, muito tarde
Entendi
Que apenas eu dava
Que apenas eu amava.
 
 
Mas ele sabia!...
 
 
Mas dizia:
_ Falas,
Magoas,
Dizes irrealidades
Menos boas,
Mas não reflectes
Qualquer verdade.
 
 
Ele sabia o que dizia
Ele sabia!...
 
 
Ouvi e calei
Chorei e senti
A mágoa de quem parte
Sem saber que parte
E esgrime palavras insanas,
Onde se reflecte ódio
E abomina amor.
 
 
Mas ele sabia!...
 
 
Soube sempre o que dizia
Eu nunca quis acreditar,
Continuava a amar! …
 
 Maria Luísa Adães

 

publicado por M.Luísa Adães às 08:16
link do post | comentar | favorito
|
71 comentários:
De cuidandodemim a 28 de Março de 2009 às 10:43
Saber que se magoa a outra pessoa e continuar a fazê-lo demonstra insensibilidade e desrespeito. Nunca é bom quando assim é.
Bjns


De M.Luísa Adães a 28 de Março de 2009 às 11:46
cuidandodemim

benvinda minha amiga; bom dia; bom fim de semana.

Obrigada pela tua visita sempre querida!

Bem feita a análise, como sempre.

Ele não interessava, eu fingia que não percebia,
pois amava e levei tempos a acreditar nessa mentira. E era uma pessoa má!Tal como a descrevo.
Escrevi e dei a conhecer quem ele era, mas tudo
terminou há séculos.

Beijos e obrigada,

Maria luísa


De 100timento a 29 de Março de 2009 às 08:57
Amiga ,li mas não vou comentar neste dia de um sol lindo e onde começando por mim tem tanto coração magoado por isso olha vamos rir e gozar esta primavera ...o amanhâ se verá
Beijinhos


De M.Luísa Adães a 29 de Março de 2009 às 09:35
100entimento

Obrigada pela tua presença neste recanto e pelas
palavras de alegria, ânimo ,a afugendar dor e corações magoados. Que fique a alegria!
Mas quando possível, se for possível, (se não for não importa), diz uma palavra, apenas uma, ao poeme "Ele Sabia!..."

Agradeço,

Beijos,

MARIA luísa



De *FreeStyle* a 29 de Março de 2009 às 11:11
Bom dia Maria Luisa....

Segundo o que entendi do poema, só um amava.

Infelizmente existem ainda hoje mtas situações destas, pelos mais variados motivo, o que eu acho que seja uma das magoas que mais doem.

Qto ao poema está de se lhe tirar o chapéu, parabens.



Beijossssss


De M.Luísa Adães a 29 de Março de 2009 às 20:11
FreeStyle

Sim, no poema só um amava! O outro sabia e era
cruel e magoava esse amor. Mas ela continuava a amar ... Até um dia poder acordar! Situações muito
frequentes que ninguém conta e ninguém sabe.
O poema é ficcionado, como deves calcular; mas a
ficção está tão perto da realidade que se confunde.
Obrigada por dizeres "está de se lhe tirar o chapéu,
parabens".
Agradeço o teu dizer!

Com ternura,

Maria Luísa


De Fisga a 29 de Março de 2009 às 18:47
Olá amiga Luísa. Ele sabia o que dizia. Ele soube sempre o que dizia. E tarde muito tarde eu entendi, que apenas eu dava, que apenas eu amava. Sabes querida amiga. O amor é cego e louco. Mas ninguém faça pouco dessa loucura, quem sabe, quem ria pode ficar um dia louco e sem cura. Adorei o teu poema, e adicionei aos meus favoritos, é lindíssimo e com uma mensagem muito sentida. Obrigado por seres assim. Beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 29 de Março de 2009 às 19:51
Eduardo

Ele Sabia!... nome do poema e verdade do histórico do mesmo.
Só um amava,
o outro não tinha amor
e era agreste e cruel
E sabia!...

É como tu dizes : "tem uma mensagem muito sentida" .
Acontece com frequência na vida das pessoas!...

É evidente que é ficcionado, como deves calcular.

Obrigada por gostares, o teres compreendido e o teres adicionado aos "favoritos".
Com alegria, beijos para ti,

Maria Luísa




De Fisga a 29 de Março de 2009 às 20:53
Olá amiga. Luísa. Ele sabia, e eu também sei. que é ficcionado, e parto sempre desse princípio. uma coisa d Só deixa de ser ficcionada para mim, a partir da altura em que o seu autor/a me disser. Não, olha que isso foi passado comigo. Aí sim deixa de ser ficção. Até lá é sempre ficção. Pois é como dizes amiga, é muito sentido de facto, tão sentido que chega a parecer que roça os meandros da realidade. Uma boa noite de sono Vê se dormes bem. E beijinhos até amanhã. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2009 às 08:09
Eduardo

Tens razão, sabes muito da natureza humana;
"só deixa de ser ficção quando o que escreve diz -
isto é verídico". Mas nem todos sentem assim!
E muitos pensam que eu conto em verso a minha vida; não é verdade, conto a minha, misturada com a vida dos outros.
Talvez isto se tenha passado comigo, há Séculos e
se passou, esqueci, mas conheço o problema dos Outros e conto e digo o que normalmente, ninguém
diz ... e sofre em silêncio!

Dormi um pouco mais; hoje vou fazer ecografia ao joelho esquerdo; caí no Brasil e o joelho parece ter
algum problema; ao meio-dia vou à clínica; tenho
imensas coisas a fazer, mas de manhã e próximo
das 18h30 volto ao computador - há sempre, alguém amigo a escrever. E também o meu amigo Eduardo,
atencioso e bondoso.

beijos,

Mª. Luísa


De Fisga a 30 de Março de 2009 às 15:39
OI amiguinha. Tu és um Anjo. Em termos de carinho, simpatia, amizade e compreensão. Espero que a eco não acuse nada. Olha eu na Quinta-Feira, dia 2 tenho 5 ecos para fazer. Uma à tiróide, uma à bexiga, uma abdominal, uma Supra-renal e uma à prostata. E por causa da eco à bexiga, tenho que beber 1,5l. de água, duas h. Antes do exame, e por causa da eco Abdominal tenho que fazer um jejum de 6 horas, e é muito mau para mim, porque sou diabético. Mas tem que ser assim, não posso fugir. Depois diz-me por favor o que tua eco acusou. Um beijinho Eduardo.


De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2009 às 18:46
Eduardo

Tu és diabético? Afinal tu tens muitas coisas não
muito agradáveis. por isso, tens de seguir todos os
sacrifícios que te mandarem fazer; quando souber resultados escrevo email.
Quando vais fazer os exames e em que dias? Tens de me dizer. Não escondas nada à tua filha e faz
tudo quanto é necessário fazer.
Ainda és pessoa para viver, uns anos muito bons.

Assim que tiver pormenores digo - tu fazes o mesmo.
E deixa muitos compromissos para o lado; primeiro
a saúde.

Beijos grandes,

Maria Luísa


De Fisga a 30 de Março de 2009 às 21:13
Obrigada minha querida amiga. E tu faz exactamente o que me recomendas a mim, tu em especial que ainda és uma jovem. Eu vou fazer os meus exames que me faltam, que são 5 ecografias, na Quinta-feira do meio dia ás duas, não sei se me dão logo os resultados se não, mas eu depois digo-te. Beijinho Grande e obrigada pelo teu cuidado e carinho. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2009 às 08:42
Eduardo

Então temos tudo mais ou menos esclarecido acerca
da tua saúde (um pouco débil); vamos ver os resultados dos exames.
Eu não sou assim tão jovem, tenho uma neta de 15 meses e a partir deste momento também entrei a fazer exames, até porque vou para o Brasil quase o tempo limite que lá posso estar (3 Meses), ao fim de 3 meses tenho que saír e depois posso voltar, por mais 3 meses. funciona assim, o Governo Federal.

Quinta-feira tens muito que fazer. Estes amigos
virtuais dão muita preocupação...

Beijos,

Mª. Luísa


De Fisga a 31 de Março de 2009 às 15:32
OI minha amiga. Olha, Os amigos virtuais que dão preocupação, são aqueles de quem nós gostamos, e depois há os outros. Onde tu não cabes, felizmente. Eu depois, vou-te contando na medida que for sabendo algo. Amanhã vou para a DECO, tratar de uns assuntos. Quinta-feira vou fazer exames, e Terça-feira da semana que vem, de hoje a 8 dias vou a casa da Maria João. Entretanto vai-se Gerar de novo o pandemónio no meu P. C. Ó minha amiga mas tu não tens que me estar a aturar, lamúrias onde é que vou ou não vou. Beijinhos e desculpa-me. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 1 de Abril de 2009 às 09:54
Eduardo

Eu estou , como que a ouvir-te, através da escrita.
Também sei dos outros amigos virtuais, mas não os conheço, mas tenho algumas experiências menos boas a esse nível.
Talvez tenha de fazer biópsia, depois do exame de ontem; não se sabe do que se trata - bom ou mau -.
fico, um pouco ansiosa . Ontem não tive paciência para nada!
Que bom ires a casa da Maria João, ela me parece
um encanto de pessoa e aqueles bichinhos que ela
tem em casa, um espanto de encantar.

Vá não atrases as tuas tarefas e responde devagar.

As coisas comigo estão preocupantes, mas vou aguardar com Fé.

Beijos,

Maria Luísa



De Fisga a 1 de Abril de 2009 às 22:09
Olá amiga Luísa. Vais fazer-me um favor, vais fazer todos os exames que for preciso e não temas porque isso é sofrer por antecedência. e não te leva a lado nenhum, só a um sofrimento antecipado. Amanhã, Sou eu, que vou para o banco de ensaio, vamos ver o que me reserva o futuro. Um beijinho e não tenhas medo, de ires ver o que se passa. Não atrases, porque aí é que pode ser mau.


De M.Luísa Adães a 2 de Abril de 2009 às 19:02
Eduardo

certo, tens razão; vou fazer o que dizes!
Mas já reparaste, estamos os dois meios esquesitos.
Se fosses crente pedia-te," partilha comigo", mas és humano e filho de Deus, na minha concepção de
vida.
Mas, para mim, a ajuda Maior vem de Deus, dos
Médicos que ajudam (é essa a missão deles) e na
nossa Fé - eu tenho Fé - não posso ser uma teórica.
Quem escreve é responsável pelo que diz. Eu sou
responsável e tua amiga.
Obrigada pelas tuas palavras e que tudo te corra pelo melhor, faço delas, palavras para mim.

Beijos,

Maria Luísa


De Fisga a 2 de Abril de 2009 às 19:10
Olá amiga. Eu quero-te felicitar por seres quem és e como és. A maior beleza que nós podemos ter é a capacidade de nos entendermos e de nos respeitarmos tal como somos, Por nossa livre vontade. Eu adoro-te e respeito-te muito independentemente das tuas opções. E gosto de saber que tu não te deixas influenciar pelas ideias das outras pessoas, se assim fosse não seria bom para ti. Obrigado por seres assim. Beijinho Eduardo.


De M.Luísa Adães a 2 de Abril de 2009 às 19:24
eduardo

Não sou influenciável! Acredito nas pessoas e não
me interessam alusões malévolas.
Eu tenho as minhas opções, respeito as dos outros e eles respeitam as minhas.
Assim é fácil escrevermos mesmo sobre aquilo em que não acreditamos, ou acreditamos e nos
respeitamos como pessoas que somos.

Beijos,

Mª. Luísa


De Fisga a 3 de Abril de 2009 às 16:07
Olá amiga Luísa. Estou de pleno acordo contigo. A base de uma boa e sã convivência está no respeito pelas pessoas, pelas suas poções e convicções, sejam elas de que ordem forem. Eu penso e faço exactamente como tu. Acredita, nós estamos no caminho certo. Beijo Eduardo.


De Fisga a 2 de Abril de 2009 às 18:08
Olá amiga Luísa. Eu sei que é muito fácil dizer, não fiques assim, essa ansiedade é normalíssima, mas amiga se isto te pode servir de algum consolo, eu digo-te, que As coisas Tanto ao nível da prevenção, como ao nível do tratamento, estão muito desenvolvidas e continuam todos os dias a avançar, tenta dentro do possível controlar-te o melhor que poderes, para não estares a sofrer por antecipação. Quanto aos meus exames, fui faze-los hoje. Já estão todos feitos, agora só os vou levantar no dia 16 deste mês, depois é que vou à consulta. E tu, quando é que sabes? Amiguinha anota o que eu te digo. Tenta não Valorizar muito isso, pode até ser, que não seja nada de cuidado. Espero bem que não seja. Beijinho Eduardo.


De M.Luísa Adães a 2 de Abril de 2009 às 18:33
Eduardo

um dos exames vem 3ª.feira, esse pode dizer o caminho a seguir, mas nada se sabe de concreto.
Tu tens razão, pode ser um falso alarme, mas de repente, fico a pensar! Será ? Espero que sim!
O que vamos fazer a seguir não sei, mas 3ª. feira,
alguma coisa se pode deduzir. Até lá aguardamos e
calamos.
Ainda não sei se posso ir para fora - mas há um ditado popular que diz "não ponhas a carroça à
frente dos bois" .Não convém explicar o assunto,
fica para nós - discreto. Okey?

beijos,

Maria luísa


De Fisga a 2 de Abril de 2009 às 18:58
Olá amiga Luísa. Fiquei contente de me dizeres que terça-feira já podes saber algo sobre o exame. Eu espero que me digas e até lá não se fala mais nisso. Beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 2 de Abril de 2009 às 19:27
Eduardo

Certo, até lá não se fala no assunto!

com carinho,

Mª. Luísa


De Just Moments a 29 de Março de 2009 às 22:30
Olá Mª Luísa!!

este poema tocou-me!
quando só um ama..e outro insiste em simplesmente fingir..magoando mais ainda!!

dizer o que??
pessoas sem sensibilidade..que não merecem serem Amadas..

Beijos


De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2009 às 07:54
just Moments

Não merecem ser amadas, mas são e de que maneira... Problema frequente que só passando por ele, se entende! Tudo é lindo no começo, mas
por vezes, nem é o tempo que derruba o sentimento, mas sim, os que não têm sentimentos.
Ficcionado por mim para todos os que, de alguma forma, são vitimas de alguém que não os ama e manipulam com mentiras, o sentir do que ama.
Imperdoável!

Obrigada por gostares do meu poema; espero que
semelhante situação, nunca te tenha atingido!

Com carinho, agradeço

Maria Luísa


De rosafogo a 30 de Março de 2009 às 00:23
Querida amiga

Como gostei do teu poema!

Falarmos de Amor
Ao outro afagar a mão
Desejar com ardor
A retribuição
E ele dizer não!?
Como deve sofrer o coração!
Não há lembrança que não doa
Faz-se por esquecer
O tempo voa
deixemos de novo,
nosso coração bater!

Tens riqueza de sentimentos, és uma lutadora,
tudo te desejo de bom

Um beijinho de terna amizade


De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2009 às 07:40
rosafogo

Foi tão bom, ter-te encontrado neste mundo virtual,
agradeço os teus versos aos meus versos "Ele Sabia!...";
situações dolorosas que existem e ninguém sabe,
ninguém conta; fazem parte do quotidiano, como se fosse vulgar o sofrimento humano; passam tão
despercebidas a tantos de nós, mas o poeta está atento, ouve, vê , fixa e conta, para lembrar ao mundo - isto é verdadeiro, existe!!!

Tu dizes-:) -" És uma lutadora" e sou, e há séculos me libertei do que o poema conta e diz para os outros, mas não para mim. Eu sinto, se não sentisse não podia escrever! Mas é de certa forma ficcionado, neste tempo... o meu tempo.

Obrigada amiga por existires e seres como és.
Bem hajas!

Beijos,

Maria Luísa


De jpcfilho a 30 de Março de 2009 às 17:45
Olá Maria Luísa, ele sabia e tu o amavas, ele sabia e tu choravas, ele sabia e tu dizias tudo de amor, ele sabia nada, nunca soube nada. <BR class=incorrect lindos versos. beijos João Costa Filho


De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2009 às 18:22
João

Isto para nós, ele era um estúpido, não sabia de nada!
Passaram séculos sobre o acontecimento e agora eu
entendo, aquele carácter maldoso e infiel.
Renasci das cinzas e escrevo ficção e verdades, tão juntas que não se distinguem.

Mas os versos são o meu fraco e o meu forte e deles vivo e para eles vivo e eternizo os factos, as pessoas boas e más e tudo quanto conheço e tudo
quanto imagino.

Beijos,
Maria luísa


De maripossa a 30 de Março de 2009 às 18:42
Maria Luísa. O poema me encanta pela forma com que descreve a forma de se querer bem,quando o amor só vem de uma parte! A outra vive internamente triste,e o mesmo tem de ser a dois.
Beijinho e boa semana Lisa


De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2009 às 19:10
Lisa

Lindo o teu comentário e tão verdadeiro que quase
magoa.
É verdade o amor tem de ser partilhado, mas aquele
não foi e há muitos casos assim, mas não são contados em verso, como eu faço.
Passou há milénios e não deixou marcas, apenas este poema para os queridos amigos e amigas, como tu
e para aquelas pessoas que sofrem sem ajuda.
A esses, eu os saúdo e os bendigo, se é que o posso
fazer.

Obrigada pela tua gentileza e amizade,

beijos,


Mª. Luísa

Maria Luísa



fazer


De Sonhosolitario a 30 de Março de 2009 às 19:05
olá querida amiga Luisa ,aqui estou a ler mais este teu encanto,de beleza nas tuas palavras lindas ,
um doce beijinho ,e obrigada ,...
Sonhosolitario


De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2009 às 19:14
sonhosolitario

obrigada pelo teu belo comentário e a ternura de tuas palavras virtuais.

Com muita amizade,

Maria Luísa


De Simbologia do aMoR a 31 de Março de 2009 às 10:46
Olá amiga

Texto ficcionada e real!
Tenho amigos que viveram esta realidade.
Exatamente tal como escreveu.

Abraço.


De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2009 às 14:24
re-nascer

Dei o poema como ficção; mas ele é real - se não se coaduna comigo (há sempre tendências a colocarem a minha pessoa, como a triste heroína do facto) por isso, falo em ficção, mas baseio-me no que conheço e no que sei a nível dos outros. Talvez
eu, tenha passado uma situação idêntica há séculos. Mas falo dos muitos que conheço e daí ficciono o meu poema com as realidades de todos
os dias. Acredito que re-nascer, conheça casos
como este que descrevo em verso. Acredito!
E é uma triste realidade!
Um ama e o outro que sabe, espezinha esse amor,
como erva daninha, batida pelo vento agreste.
E o outro continua a amar, a sofrer, por quem nada
merece. E não pode fugir... por vezes, por tempo
demais. Esta é a realidade!

Obrigada, por entender tão bem o que pretendo dizer. Agradeço a sua presença amiga, neste recanto e as suas palavras,

Com amizade,

Maria Luísa


De Simbologia do aMoR a 1 de Abril de 2009 às 00:17
Entendo perfeitamente.

Abraço amigo


De M.Luísa Adães a 1 de Abril de 2009 às 09:42
re-nascer

Obrigada por entender, tão bem! Ainda bem que escrevi e englobei nesse escrever, os que sofrem.

Beijos amigos,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 1 de Abril de 2009 às 23:20
Vim pôr a leitura dos teus poemas em dia, amiga Maria Luísa. Fiquei a saber que tens um problema num joelho. Não vai ser grave, vais ver. É possível e frequente acontecer que se acumule um pouco de líquido após um trauma do joelho. Pode não ter sido reabsorvido e estar a necessitar de ser puncionado para que tudo volte à normalidade. Mantém a fé.
Quanto ao teu poema, belo como sempre, retrata uma realidade também muito frequente. Ainda bem que terminou há milénios!
Um grande abraço.


De M.Luísa Adães a 2 de Abril de 2009 às 18:53
Mª. João

Obrigada por apareceres, tinha saudades tuas.
Ainda fui ao teu blogs, mas não consegui escrever.
Lembrei-me do que falaste e fiquei aguardando.
Minervinha melhorou? Espero que sim e que todos
estejam bem.
Sim, terminou há milénios, numa outra vida!
Mas retrata o problema de tanta gente ...

Com ternura,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 2 de Abril de 2009 às 20:34
A Minervinha melhorou, amiga, mas está tão magrinha que parece pele e osso. E só come latinhas, nem tem força para comer ração...
Entrou em fase crónica, conforme estavas a prever, mas está muito, muito débil.
Um abraço muito grande!


De M.Luísa Adães a 3 de Abril de 2009 às 10:02
Mª. João

Vai sempre ser frágil e magra, mas esperemos que se aguente com essa fragilidade e a comer as
latinhas bem comidas, água, beijinhos carinhosos,
para se sentir confortável e feliz.

Obrigada por dares noticías; ontem tive um dia muito mau e cansativo.
Estou sem forças para escrever às pessoas que tanto se têm interessado, pelos meus últimos poemas.

Beijos para todos,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 3 de Abril de 2009 às 12:58
Hoje também está a ser um dia péssimo para mim, amiga Maria Luísa. Só me acontecem desastres... mas enfim, há-de passar!
Abraço muito grande!


De M.Luísa Adães a 4 de Abril de 2009 às 10:25
Mª. João

Há dias impossíveis; eu tive o meu, tu tiveste o teu.

Obrigada por escreveres, é como se te encontrasse ao voltar da rua e sorrise com um
"Olá".

Beijos da amiga,

Maria luísa


De poetaporkedeusker a 4 de Abril de 2009 às 11:30
É mesmo, amiga. É extraordinário como nos afeiçoamos aos amigos da blogosfera! E o teu joelho, como vai? Já sabes mais alguma coisa? Abraço grande!


De M.Luísa Adães a 4 de Abril de 2009 às 13:01
Mª. João

É verdade, como escrevemos e dialogamos com
alguém que não se conhece, não se vê.
É estranho! Se penso no assunto, não posso entender!
Já pensei em me desligar do blogs e dos poemas; deixo este último, para despedida. E não volto!...
Falo a sério! Estou cansada !
as pessoas são de uma simpatia, como se me conhecessem e não conhecem, nem eu a elas e esse
"estado de alma" me confunde, de forma séria.
Estes últimos poemas, têm tido, uma recepção
maravilhosa e sincera. Até me comove!...
Eu sinto-me doente e não sei que fazer.
Mas tu tens razão quando dizes, "não sou uma
poetisa de gaveta" escrevo para o mundo.
Comigo passa-se o mesmo.
Vamos lá entender o que se passa comigo e contigo?

Não quero apegar-me a nada! Não quero, Mª. João,
não quero!

Beijos para ti e teus bichinhos,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 4 de Abril de 2009 às 14:46
Amiga, eu penso conhecer bem esse "não quero apegar-me a nada!". Já passei por isso e garanto-te que foi uma fase díficil. Talvez a pior fase da minha vida, embora passasse menos dificuldades económicas...sinto que está na nossa natureza apegarmo-nos àquilo que nos rodeia, aos nossos amigos, tenham eles duas ou quatro patas. Tu verás por ti. Talvez não estejas assim tão doente, amiga, talvez a tua missão ainda esteja longe de estar cumprida.
Este espaço-blogosfera é, realmente, muito peculiar, mas repara que é um meio magnífico de comunicação útil e de troca de conhecimentos, palavras, sentimentos... e útil, muitoútil,desde que se não fique "agarrado" a conversas pessoais , horas e horas no eail, ou messenger ou lá que é aquilo. Os blogs são mesmo úteis. Eu acredito profundamente nisso!
Um abraço muito grande!


De M.Luísa Adães a 5 de Abril de 2009 às 09:24
Mª. João
É verdade, está dentro de nós o apegar ás pessoas
aos nosso animais, ao que escrevemos.
E como dizes e muito bem, a Net é um meio de comunicação espectacular, só que está tudo tão
distante que me impressiona... À distância do meu dia a dia. É um sentimento estranho. Sinto-o, mas
não o sei explicar, nem em verso; para dizer em verso, tenho de saber encandear os acontecimentos, saber o que vou dizer... E sei o que digo, pareço escrever de forma livre, mas obedeço às regras do dizer e dizer como digo não é fácil, assim como a forma como dizes, é bem dificíl!
Mas tu entendes! Não quero apegos, mas na realidade só tenho o blogs onde escrevo, uma coisa
ou outra no google com algum interesse, mas o google falta-lhe calor humano e não gosto do google.
Esrevo umas coisas, mas não me interessa!
Não estou ligada a grupos, nem quero; não mantenho conversas, nem quero; mas tenho pessoas de quem gosto, como tu, por exemplo.
Talvez o blogs seja bastante útil, como tu dizes...
Talvez!
Obrigada pelas tuas palavras, fizeram-me muito bem.

Beijos para todos na tua casa e para ti,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 5 de Abril de 2009 às 12:27
Minha querida amiga, eu também sou excatamente assim. Muito raramente escrevo um email, nunca funcionei com o messenger e essas novidades do twitter têm a sua graça, mas não me apaixonam nem pouco mais ou menos. Os blogs veículam coisas de muito valor, são livros abertos ao mundo, são um meio de comunicação privilegiado... esses sim, apaixonam-me! Acredito na potencialidade dos blogs enquanto meios de divulgação de talentos e enquanto geradores de criatividade. Também aconteceu apaixonar-me aqui, pelo sapinho. As simbologias são importantes para mim e, acredites ou não, eu sempre gostei de sapos. São seres ligados à minha infãncia e sempre tive o maior respeito pelo trabalho dos sapos na natureza. Sempre foram seres muito úteis às colheitas e quantas vezes associados à bruxaria negra, tal como os pobres dos gatos. Gente ingrata! Os sapos, tantas vezes torturados, são maravilhosos anti-pragas de insectos...
Eu era muito, muito pequenina e já ficava zangada quando os não entndiam. Acho que sempre fui um bocadinho esquisita, mas não me importo nada de ser assim.
Um grande abraço!


De M.Luísa Adães a 5 de Abril de 2009 às 13:31
Mª. joão

Eu sinto como tu e faço o que tu fazes, sem saber, sem te ver, sem te conhecer - será que não conheço? Visiono a tua vida atarefada com as atenções que tens de prestar aos bichinhos, a tua ida ao café, onde dizes meia dúzia de coisas engraçadas e o regresso à tua casa e á vida que te foi legada. Os desesperos com as dificuldades e o teu viver. Visiono tudo isso! Errada? Certa? Não sei,
mas até penso que não és muito alta, mediana e magra e cabelo comprido, talvez apanhado.
Podes rir à vontade, mas eu vejo isto tudo, através do que escreves.
Também gosto dos sapos, flagelados pela bruxaria
e dos gatos que também são crucificados por loucos e mais animais que não quero mencionar por
uma fobia , muito forte que tenho e que nasceu comigo. Não sou do tempo em que as fobias eram traradas em miúdos e por isso, fiquei com ela e é
muito má, para mim. Poucas pessoas entendem e
eu nem posso falar no assunto e é tarde para tratar.
Também sou, um pouco ou muito, diferente da maioria.

Com amizade,

Maria Luísa



De poetaporkedeusker a 5 de Abril de 2009 às 14:45
Acertaste em muita coisa, amiga! Em quase tudo, mesmo. Umas vezes ando com o cabelo solto, outras apanho-o num rabo-de-cavalo ou mesmo em dois totós, como as meninas pequenas... elas brincam comigo por causa disso - as minhas amigas do cafezinho - e eu rio-me também. A vida delas também não é fácil, mas aprendemos que este pedacinho de riso sem vergonhas uma das outras, nos faz muitíssimo bem. Todas nós temos doenças crónicas graves, mas nemsempre se nota. Eu tenh andado com algumas olheiras, mas de resto, não se nota muito. Quem não souber das nossas doenças épensa que somos pessoas muito saudáveis! Rir livremente faz maravilhas pela nossa saúde. Caro que nõ somos umas tontas que não fazem mais nada senão rir,mas quem no s aveja só no cafezinho, pensa que ninguém ali tem problma nenhum!
Um grande abraço!


De M.Luísa Adães a 5 de Abril de 2009 às 15:16
Mª. João

Afinal o meu visionar, através do que escreves, deu
certo, a doença crónica... vejo-te a andar com uma certa dificuldade, ou será ilusão?
Agora gostava de saber! E se eu desse consultas de vidência? Que dizes? Eu apercebo-me bastante bem,
do que se passa com as pessoas.
Uma vez, a conversar com o meu marido, descobri
que uma carta séria de que nos tinham falado, "não
existia " - vi isso num reflexo de tempo e "era verdade".
Mais tarde tive a certeza!
Mas engano-me muitas vezes ... Diz-me da doença crónica, tem alguma coisa com o andar?

Mª. Luísa

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 5 de Abril de 2009 às 21:47
Sim, tem, amiga. Nem sempre é muito visível, mas h´dias em que me não é nada fácil andar. Ola, uanto às consultas... nós enganamo-nos muitas vezes, somos humanos. Também "sinto" muitas coisas, mas ,normalmente, só funciona com as pessoas com quem lido diariamente... e cm os mes bichitos. Mas com eles ´pura telepatia, que não é assim tão diferente da empatia.
Beijo grande.


De M.Luísa Adães a 6 de Abril de 2009 às 10:16
Mª. João
Ponho o consultório, com as pessoas perto é muito mais fácil; assim sem ver, apanhando um pouco por aqui e por ali, cgega-se a uma conclusão tão real que impressiona.
Então, por vezes, coxeias, um pouco, sinto isso ,
mas não sei explicar o porquê. Basta de magia!
Não sinto que ser assim me alegre e mais, por vezes, assusta-me! Verdade, chego a assustar-me
pois há coisas que vejo, menos simpáticas que
passado tempo, mostram ser verdade. Desagrada-me!
Eu entendia a Maggie como se ela falasse, era-me tão chegada, tão minha e ela também me entendia.
Mas alguns humanos, dos que conheço, no mundo real, me entendem pior do que tu, do mundo virtual.

Com saudade,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 6 de Abril de 2009 às 12:40
Mas a tua Maggie falava mesmo, amiga. Tal como os meus amiguinhos todos. Nós e que temos o hábito de associar as palavras à linguagem, mas a verdade é que se comunica de mil e uma maneiras.Comunica-se a todos os níveis, amiga Maria Luísa e o amor é a mais completa e abrangente forma de comunicação.
Um grande abraço.


De M.Luísa Adães a 7 de Abril de 2009 às 11:06
Mª. João

Tens razão, há tanta forma de comunicação, mas
nós associamos tudo às palavras.
Concordo com a tua dissertação sábia a nível do
amor que é a forma maior de comunicação.

Ontem ,estive tão mal dos brônquios, com muita tosse e febre que tive de ir para as urgências do
Hospital do Sams.tenho uma infecção forte nos
brônquios, tive o mesmo problema em Fevereiro.
Não sei definir esta fragilidade respiratória. Terei de ir para pneumologia, pois é muito perigoso ir
para o Brasil. Assim como estou, não vou!
Tudo a correr mal!

Beijos,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 7 de Abril de 2009 às 12:15
Olha, amiga, pelo menos estás num belíssimo hospital.
Como sabes, todos nós temos períodos de maior fragilidade imunitária. Um abalo emocional é o suficiente para nos enfraquecer o sistema imunitário, acredita!Trta bem essa infecção brõnquica, resguarda-te destes frios e ventos, deixa-te envolver pela felicidade de teres o privilégio de ser poeta e verás que as coisas se irão compõr. E o teu joelho, como vai ? Fala das coisas que te doem e preocupam, se isso te faz sentir melhor, masnunca deixes que elas e dominem e roubem o teu tempo de seres feliz... mesmo quando estiveres pontualmente triste!
Um beijinho1


De M.Luísa Adães a 7 de Abril de 2009 às 15:54
Mª. João

Ontem deixei que o mal me dominasse e sofri; foi uma noite terrível, para esquecer.
O joelho está a ser tratado, tem um quisto na parte detrás, mas ainda é pequeno, vai ser tratado
(já começou).Hoje tenho uma análise cistológica a
chegar - é um problema que pode ser positivo ou
negativo. Só às 18h vamos saber, Como vês, é quase impossível, arriscar uma viagem longa.
Obrigada pelo carinho.
Coloquei um post "HÁ TUDO!" ; vê se o achas complexo, eu penso que sim!
Beijos a todos,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 7 de Abril de 2009 às 20:47
Vês? Ainda não sabes nada sobre esse cisto e já estás a pensar no pior! E está a ser tratado com quê, amiga? Anti-inflamatórios tópicos? de administração oral?
É importante que sejas medicada, mas também é muito importante que te nã deixes entristecer ou preocupar demasiado. É humano ter um pouco de preocupação, mas faz com que seja breve! Preocupa-te mais com o teu trabalho poético, ocupa-te mais dele. Faz tão bem acreditarmos naquilo que fazemos... e amarmos aquilo que fazemos. Estou a agir como uma tonta ao sugerir-te aquilo que me faz bem a mim. Essa é uma viagem que terás de ser tu a fazer e eu tentarei estar contigo e ouvir-te.
Abraço grande!


De M.Luísa Adães a 7 de Abril de 2009 às 21:05
Mª. João

A análise seu normal, sem problemas; o cisto vai ser tirado por completo (é pequeno) vai para biópcia,
mas esta análisa dá tudo positivo.
Até vai ser tirado no consultório em Lisboa.

Adorei escrever o meu último poema, complexo a deixar vislumbrar, alguma coisa, a quem está atento.Como eu gosto!
Tens razão, ter este dom que Deus nos deu, é uma alegria e uma benção.
Obrigada pelas tuas palavras.
Quero que tenhas uma Páscoa Feliz com os teus
bichinhos e amigos!
Sim amei o poema, há um tempo que não escrevia
o estilo que ele traz e coloquei no poste a imagem
de Jesus de Salvador Dali. Um encanto!

Beijo e agradeço todas as gentilezas,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 7 de Abril de 2009 às 21:13
Sim, amiga. Já vi o teu "Há tudo!",mas ainda não tive a oportunidade de comentar devidamente. É magnífico e o teu quistozito não te vai dar grandes problemas.
Que tenhas uma Santa Páscoa, minha amiga.
Um abraço grande!


De M.Luísa Adães a 7 de Abril de 2009 às 21:29
Mª. João

Ainda bem que já viste o meu poema e parece que gostaste ; que bom eu adoro-o e adoro-te!
Que tenhas , também uma Santa Páscoa.

Mª. Luísa


Comentar post

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão