Quarta-feira, 18 de Março de 2009

NEM SEMPRE!

 

 

  

 

 Imagem Internet / Salvador Dali

 

 

 
 
Nem sempre se fala de amor,
Nem sempre se fala de nostalgia,
Nem sempre se fala o que se pensa,
Nem sempre se fala o que se sente,
Nem sempre se vive de euforia!
 
 
Nem sempre!
 
 
Apenas tu existes
No meu dizer de poeta,
Apenas tu me chamas de poeta,
Apenas tu sabes que sou poeta,
Apenas tu…e ninguém mais!
 
 
Nem sempre existo!
 
 
E vivo no encontro e desencontro
Do que sou,
Vivo da minha ilusão,
Vivo da minha insensatez
E da minha lealdade
 
 
 
Que ninguém sabe
Que ninguém vê
Que ninguém sente
Ou pressente,
Este meu dizer…
 
 
Nem sempre!
 
 
Tentem lembrar este meu canto,
Tentem apreciar
E não esquecer
Q que não vê
O que não sente.  
 
 
Nem sempre, assim é!
 
 
E a solidão e a luz da noite,
Cobrem com seu manto
Os céus e as estrelas
De quebranto…
.
 
Nem sempre!
 
 
Apenas eu fico,
Apenas eu espero,
Apenas eu suplico,
Talvez por ser poeta
Esquecido!
 
 
Nem sempre, eu sou!
 
 
Mas fico sempre esperando
Até àquele dia,
Perto ou distante,
Onde te possa encontrar
Beijar e amar
Sem parar,
Como se o meu mundo
Fosse morrer,
Naquele instante.
 
 
Nem sempre sinto,
Nem sempre!
 
 
E eu morro,
No desejo
Do meu Canto.
 
 
Nem sempre, eu morro!
 
 
Tudo o resto,
É poeira
E ar.
 
 
Mas nem sempre
Eu reparo,
Naquele instante.
 
 
Tento olvidar,
O meu dizer
De poeta
Por algum tempo,
 
 
O Teu Tempo...
E esquecer!
 
 
Maria Luísa adães 

 

publicado por M.Luísa Adães às 13:01
link do post | comentar | favorito
|
60 comentários:
De Maria a 18 de Março de 2009 às 14:44
Olá Maria

Gostei do poema Bjs


De M.Luísa Adães a 18 de Março de 2009 às 15:01
Maria

Obrigada pela sua presença e mais, por gostar do poema! Agradeço a visita tão oportuna!

Com amizade,

Maria Luísa


De cuidandodemim a 18 de Março de 2009 às 18:25
Nem sempre acontece o que esperamos...
Nem sempre somos o que queremos...
Nem sempre, apenas às vezes...
Bjns


De M.Luísa Adães a 18 de Março de 2009 às 19:10
cuidandodemim

Nem Sempre
Nos lembramos,
Nem sempre escutamos,
Nem sempre esquecemos,
Nem sempre acreditamos,

Mas por vezes, nos lembramos
e recordamos
quem somos!

obrigada , minha amiga, pela ternura, quanto ao
que escrevo.

Com amizade,

Maria Luísa


De Simbologia do aMoR a 18 de Março de 2009 às 23:49
Olá

Gostei do teu poema "Nem Sempre"

Nem sempre é verdadeiro o que se lê.
Nem sempre é verdadeiro o que se vê.
Nem sempre as metáforas são desejos de viver.

Abraço.


De M.Luísa Adães a 19 de Março de 2009 às 05:32
re-nascer

Linda forma de responder ao meu poema

"NEM SEMPRE! ".

O teor do poema está preparado, para que as pessoas o possam comentar em verso e da forma que mais gostem.

Gostei muito!

Beijos de amizade,

Maria luísa


De Simbologia do aMoR a 20 de Março de 2009 às 03:23
Eu é quem agradeço o elogio.
Comento em forma de versos porque são espontâneos, saem de repente, quando vejo já há versos.
Nem sempre as pessoas gostam de comentários desta forma, por isso gostei da tua resposta ao meu comentário em verso.

Ps. Desculpe-me o esquecimento na ausência da exclamação, a qual não coloquei quando fiz o comentário.


De M.Luísa Adães a 20 de Março de 2009 às 03:48
re-nascer

"Nem Sempre!" e eu, Mª. Luísa, agradecemos a forma como o comentário foi feito; ele está preparado para que lhe respondam dessa forma!

Ambos agradecemos, a sensibilidade usada na forma
de dizer.

Beijos grandes,

Mª. Luísa


De Sonhosolitario a 19 de Março de 2009 às 02:33
olá amiga Luisa,mas sempre leal.com um doce beijinho virtual...
bom dia ,aqui está mais uma Preciosidade dos teus encantos.que neste teu poetar sempre me encanta,te adoro ler porque muito tenho aprendido contigo....

nem sempre sou quem gostava de ser
nem sempre amo como devia amar
nem sempre sofro como devia sofrer
nem sempre sou aquele solitario que devia ser
nem sempre ganho,quando devia perder
nem sempre sou como devia ser........

um doce beijinho minha querida amiga Luisa
desejo-te muita felicidade,um abraço para o senhor seu marido.
deus vos deia muita saùde
seu amigo Sonhosolitario


De M.Luísa Adães a 19 de Março de 2009 às 05:39
sonhosolitario

Respondi , mas a resposta desapareceu.

Lindo poetar ao meu poema " NEM SEMPRE ";
o poema corresponde ao desejo, de ser comentado em verso. Todos o podem fazer e tu seguiste a
verve.

Obrigada pela tua presença neste lugar.

Com amizade,

Maria Luísa


De Fisga a 19 de Março de 2009 às 11:45
Olá amiga Luísa. NEM SEMPRE. O teu poema é polémico, pertinente e muito questionável. Parabéns pela tua audácia.
Nem sempre estamos onde gostávamos de estar.
Nem sempre somos o que gostávamos de ser.
Nem sempre temos o que gostávamos de ter.
Nem sempre amamos a quem gostávamos de amar.
Nem sempre, nem sempre, infinitamente nem sempre.
MAS.
Sempre pudemos dar um sorriso.
Sempre podemos dar um carinho
Sempre podemos dar amor a quem dele precisa.
E isso nos deve bastar, se mais não puder ser.
Um beijinho Eduardo.


De M.Luísa Adães a 19 de Março de 2009 às 12:05
Eduardo

Gostei de te encontrar neste poema "Nem sempre!"
poema polémico, como tu dizes e preparado para ser comentado em versos breves, como fizeste.

Obrigada por te lembrares e arranjares tempo , nesses inúmeros afazeres.

Eu, Mª. Luísa e o poema "NEM SEMPRE" , agradecem as tuas lindas palavras.

Beijos,

Maria Luísa


De Fisga a 19 de Março de 2009 às 17:25
Olá amiga Luísa. Não me agradeças, porque eu não comento para isso, Eu leio e aprecio depois tenho todo o prazer em dar o meu parecer, tu como uma boa amiga que és mereces isso e muito mais. Beijinhos Eduardo.


De M.Luísa Adães a 19 de Março de 2009 às 18:00
Eduardo

Não posso agradecer? Mas é simpático da tua parte
leres e analisares o poema; aí vais descobrindo coisas em que não tinhas reparado.
Até eu leio o poema, muitas vezes, à procura do seu
verdadeiro "Eu" ...pois ele tornou-se Gente!

Beijos da amiga,

Mª. Luísa


De Fisga a 20 de Março de 2009 às 17:06
Olá amiga M. Luísa. Nós é que o fizemos gente com a vida que lhe demos, a começara por ti que foste a mãe. e depois entre todos os que vão comentando assim o vão vestindo e ensinando a falar até ele ficar lindo e crescido. Um beijinho deste teu amigo do peito. Eduardo.


De M.Luísa Adães a 20 de Março de 2009 às 19:39
Eduardo
Tu e todos quantos o têm comentado, o têm feito em verso e o poema "Nem sempre!" vai crescendo
(como tu dizes) e ficando com lindas vestes que são
as palavras dos meus amigos, como tu!

Obrigada pelo teu interesse e amizade.

Beijos da amiga,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 19 de Março de 2009 às 13:36
Nem sempre tão feliz quanto aparento,
E nem sempre tão triste, se o pareço...
Nós, almas verticais, sem um lamento,
sempre a pagar o nosso humano preço...

Líndissimo o teu "Nem Sempre!". Llindas as tuas palavras sobre o nosso humano anseio de "ir mais além".
Um abraço, minha amiga.


De M.Luísa Adães a 19 de Março de 2009 às 18:36
Mª. João

Agradeço os teus versos, aos meus versos;

"Nem sempre!" proporciona ao caminhante a
resposta em verso - é esse o intento - todos
colaboram na resposta ao "Senhor".

Obrigada por gostares; a tua opinião é-me importante! És poetisa e vês com outros olhos;
os olhos do poeta em liberdade, a escrever os seus cantos.
Esse "Líndissimo" deixou-me extasiada! Os poetas
são assim, choram e riem no seu caminhar pelo mundo e sofrem - sofrem muito!...
Quem os entende assim, tão bem? Tu sabes? Eu
não sei!

Com carinho, minha querida amiga,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 20 de Março de 2009 às 00:46
A grande maioria não entende mesmo, amiga. Talvez estejam agora a começar a entender... tenho sempre essa esperança... mas tu sabes bem que o poeta sofre muito e ama muito. Essa é uma das características do poeta, o preço que ele/ela tem de pagar por sê-lo.
Um grande, grande abraço.


De M.Luísa Adães a 20 de Março de 2009 às 03:42
Mª. João

Sim, os dons fazem sofrer e muito; é como tu dizes, o preço, um pouco alto, a pagar, pelo tom Divino
que lhes foi concedido.
Possa Deus ajudar, minha amiga; possa Deus ajudar e abençoar e as nossas palavras, toquem os corações mais rudes e os mais românticos.

Obrigada por responderes e seres como és - assim
mesmo - como eu procuro nos amigos.

Beijinhos para todos, os da casa,

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 20 de Março de 2009 às 12:10
A minha Minervinha está um pouquinho melhor hoje, amiga. Ontem não vomitou e hoje, embora esquelética, parece mais bem disposta. Dormiu toda a noite enroscada junto ao meu peito e fazia ron-ron sempre que eu lhe fazia festas na barriguita. Por issodormi pouco. Estive muitas horas a dar-lhe calor e ternura e foi muito bom para ela. Estou preparada para tudo, mas sei que ela, hoje, está mais feliz e confortável e eu sinto-me muito em paz. O pai adoptivo dela, o Sigmund Freud, também fez o mesmo. Passou horas a lambê-la e ela está muito feliz.
Beijo grande.


De M.Luísa Adães a 20 de Março de 2009 às 19:57
Mª. João

Que alegria tão grande esse quadro que me descreveste.
Minervinha melhor, mais bem disposta e Freud cheio de meiguice; e tu , minha amiga, com essa ternura a dar-lhe o amor e o conforto que tanta falta fazem, aos nossos bichinhos que são os nossos maiores amigos.
A minha querida já não está comigo, tu sabes e
continuo , nestes momentos, a chorar por ela.

Com muito amor para todos,

Maria luísa


De poetaporkedeusker a 21 de Março de 2009 às 12:54
Eu sei, amiga. Eu tenho tantos e cada um deles é único! Não há um que substitua outro, de forma nenhuma. Mas o Sigmund reassumiu o seu papel de pai adoptivo e também a consola muito. Mas hoje não saio mesmo senão, como de costume, para tomar um pigado aqui a 5metros de casa. Não quero abandoná-la de forma nenhuma.
Abraço grande.


De M.Luísa Adães a 21 de Março de 2009 às 19:36
Mª. João

Vê bem a ternura entre os animais; se alguma coisa acontece, não sei como Sigmund vai ficar, pode
entristecer e ir embora também. Mas eu engano-me
muitas vezes, já disse e afirmo!
Mas não me dizes se ela está melhor ou a sofrer; de
qualquer forma, ficaste o tempo todo com ela.
Eles são insubstituíveis - um, não substitui o outro!
Espero, ainda, que ela melhor, tenho esperanças.

Beijos e diz-me como ela se encontra,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 22 de Março de 2009 às 11:37
Ela já não está a sofrer amiga. Desde que eu esteja junto dela e lhe faça muitas festinhas, faz muito ron-ron e semicerra os olhitos com um ar deliciado... mas está tão magra, tão magra que até assusta! E debilitada. Anda, mas desequilibra-se muito, tal é a fraqueza, e só come as latinhas quando eu lhas dou à boca, num colherzinha. Come pouco de cada vez, mas come bem... só que não engorda. Nem com o suplemento alimentar, o Nutriplusgel. É como uma chama a apagar-se muito devagarinho, mas não está a sofrer que eu sinto tudo o que eles sentem e nunca mais teve queixas durante a micção. Só um dia. Deve ter sido uma areiazinha a sair na urina. Eu sei que dói muito porque eu também as tenho.
Abraço grande e obrigada pelo teu interesse.


De M.Luísa Adães a 22 de Março de 2009 às 13:54
Mª. João

Ainda bem que não está a sofrer, mas tem dentro dela uma falta muito gande, de amigos que não tornou a ver e isso a magoa, a fragiliza e não a deixa comer.
Dá-lhe comidinha aos poucos e ela vai comendo para adquirir forças , para ultrapassar a ausência
dos amigos a quem ela amou muito e não tornou a
ver.
É um estado psicológico que pode matar! Mas tenho
Esperanças, muitas. Que Deus me ouça!

Beijos da amiga, para todos os amigos,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 22 de Março de 2009 às 21:31
Obrigada, amiga. Eu até lhe dou as latinhas com uma colherzinha... mas também é uma situaçãocrónica antiga que se agudizou de repente. Ela tem uma insuficiência renal há muito tempo e tem estado com alimentação especial, embora nem sempre eu lha pudesse comprar. Mas agora come bastantes latinhas e já nem engorda. Está muito, muito magra.
Um abraço grande.


De M.Luísa Adães a 23 de Março de 2009 às 07:48
Mª. João

Problema da Maggie, insuficiência renal, é bastante
perigoso; então, tens de ter muita paciência, sei que tens, para poderes vencer e viver num ambiente que traduz incerteza, constante.
Peço a Deus por ti e por todos.
Não queria que ela sofresse! Mas temos de aguardar.

Beijos para todos e as melhoras; força para ti,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 23 de Março de 2009 às 10:35
Obrigada, amiga Maria Luísa. Também foi assim que a Lupa morreu. Mas a Minervinha, ontem, comeu duas latinhas à colher. É muito, mas cda vez está mais magrinha... mas ontem, por volta das 3h da madrugada, fiquei muito contente, porque ela, mesmo sem forças, viu uma borboletinha da noite, entusiasmou-se, e andou a tentar caçá-la. Claro que não conseguiu, mas é bom sinal ela fazer muito ron-ron e entusiasmar-se com uma borboleta.
Um abraço grande.


De M.Luísa Adães a 23 de Março de 2009 às 11:26
Mª. João

Foi bom o entusiasmo dela a tentar caçar a borboleta. Deus vai ajudar! Pode salvar-se se a doença se transformar em crónica e não avançar;
parar!
tenho um poema novo "Quando te amo..." , quando
possível ,dás uma opinião. obrigada pelas noticías.

Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 23 de Março de 2009 às 12:49
Vou já ver, amiga. a Minervinha está aqui ao meu colo e agora tem ciúmes do pc e quer ir para cima dele... eheheh. É uma querida!
Beijo!


De M.Luísa Adães a 24 de Março de 2009 às 08:05
Mª. João

A Minervinha está cheia de mimo e merece!
Neste momento tem ciúmes de tudo até do pc e quer ir para cima dele, para desviar a tua atenção
que tem de ser só para ela...Só ela e merece, ainda
pode ter muito que passar. Mas o amor, pode
travar o problema dela. Não a descures!

Bºs, Mª. Luísa


De poetaporkedeusker a 24 de Março de 2009 às 10:46
Eu sei, amiga. Agora o melhormedicamento que lhe posso dar é mesmo o "Amor". Acredito que é graças a ele que ela ainda está vivinha e parece querer começar a melhorar.
Beijo grande!


De M.Luísa Adães a 24 de Março de 2009 às 12:55
Mª. João

Eu, ainda, espero que ela melhore; se não acontecer vou chorar! Diz à Minervinha para não nos abandonar.
Melhoras e beijos para as duas,

Maria Luísa


De poetaporkedeusker a 25 de Março de 2009 às 00:42
Ela está muito fraquinha, mas não chores... talvez ela se aguente. Ela come muito bem as latinhas.
Beijos para ti também!


De M.Luísa Adães a 25 de Março de 2009 às 07:42
Mª. João

Boas noticías "ela come bem as latinhas", mas o problema subsiste, talvez tenha sido uma crise e
ela ultrapasse, numa situação crónica, mas que não faça sofrer e a conserve por cá e ela se sinta, sempre, feliz contigo.
Eu gostaria de beijar e acariciar a minha maggie;
quantas saudades; ainda não passou!

As melhoras e tu cuida-te, para os ajudares.

Obrigada por escreveres; beijos para todos,

Mª. Luísa


De maripossa a 19 de Março de 2009 às 23:14
Olá Maria Luísa! O prometido é devido e aqui estou para responder ao teu poema.

Nem sempre gostava de ver o que vejo.
nem sempre gostava de sentir a falta de humanidade
nem sempre gostava de ouvir palavras que machucam
Mas sempre gostaria de ver,gente feliz contente
Meninos brincando com esperança
E gostaria de ver... esperança e uma luz no olhar

Tudo isto eu gostaria.
Beijinho bfs Lisa


De M.Luísa Adães a 20 de Março de 2009 às 03:58
Maripossa

Lindo comentário; linda forma de responder.

O poema "Nem sempre!" proporciona a resposta em verso e por esse facto agradecemos.
O interessante é que todos os comentários ,começam ou acabam em verso.

"E gostaria de ver...esperança e uma luz no olhar
tudo isto eu gostaria."

Palavras tuas... e lindas, de sensibilidade e Paz.

Obrigada, minha amiga.

Beijos ternos, da

Maria Luísa


De rosafogo a 20 de Março de 2009 às 01:48
Olá M. Luisa

Como gostei do teu poema! Lindo!

Acrescento, se me dás licença:

Mas sempre um beijo estremece
Sempre uma lágrima é dolorida
E sempre o dia anoitece
E fica-nos a Vida reduzida

Beijinho grande


De M.Luísa Adães a 20 de Março de 2009 às 03:33
rosafogo

Que bom minha amiga o teu regresso, espero que tudo em bem.
Gostaste do meu poema? E é um poema que pede para ser comentado em verso; todos o têm feito e tu também, escreveste uma quadra linda, em homenagem ao meu "Nem Sempre!".

Te agradeço do coração!

Que bom nos poderes contemplar com a tua presença e a tua sensibilidade. Benvinda a este
recanto que procura através da Palavra, o
entendimento quase perfeito entre nós.
Que bom me teres encontrado e eu a ti...

"E sempre o dia anoitece
E fica-nos a Vida reduzida" ...

É isso, a passagem do tempo!

Obrigada pelas tuas palavras, cheias de significado.

Beijos muitos e sê benvinda ao nosso convívio,

Maria Luísa


De pecadoras a 20 de Março de 2009 às 16:56
Muito bonito falar de amor… mas a faze-lo é outro sabor.
Gostei do blog



De M.Luísa Adães a 20 de Março de 2009 às 19:50
Pecadoras

Obrigada pelo comentário ao poema "Nem sempre!"
e agradeço ter gostado do blogs.

Com simpatia e amizade,

Maria Luísa


De blogando-me1 a 20 de Março de 2009 às 22:06
Image


De M.Luísa Adães a 21 de Março de 2009 às 07:32
blogando-me1

Vou guardar o teu miminho e vou arranjar um espaço para "Prémios" ´( tornou-se necessário) e
depois, o vou colocar.
Eu e o poema "Nem Sempre!" agradecemos o teu
carinho.

Beijos,

Maria Luísa


Comentar post

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão