Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

CAMINHO REAL

 


 

 

 

Não regresses!

Adquire forças e saber

Só depois, vens

Ao teu próprio encontro.

 

Não partas!

Sem conhecer o local,

Para onde vais.

Procura a força,

A compreensão

E só depois …

Podes caminhar

Com prudência.

 

Desbravar sentimentos

E trabalhar

No plano físico

Da Transformação.

 

E aí … Regressa,

Refaz o teu anseio

Muda o teu estar

Na Terra,

 

Apenas, assim …

 

Encontras o Caminho Real

DA TUA PROCURA.

 

publicado por M.Luísa Adães às 15:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

ESCREVO SEMPRE

     

 

 

Da ansiedade em que espero

O teu renascer

E daquele tempo futuro,

Apenas teu,

E do qual eu não vou saber.

 

 

Não deixes que te tirem

O que te dei …

 

 

O teu lugar no mundo

E o meu amor por ti

 

 

Não deixes cair,

Das mãos descuidadas,

A tua Vida,

As tuas razões reais

E A BELEZA DA TUA MOCIDADE.

publicado por M.Luísa Adães às 16:17
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008

SIM SUPLICO

 

 

 

 

E vou dar voz à súplica,

Na minha forma de dizer,

Na minha maneira de sentir.

 

E sei:

 

Tudo é teu,

Tudo te pertence,

Não deixes …

Que te tirem a alegria,

O teu estar no mundo

E o meu amor por ti.

 

Não permitas que isso aconteça.

 

Caminhante esquecido

Num local sem fim.

 

Acredita no simbolismo

De um mundo mais puro,

Procura um tempo presente,

E vai mais longe …

Procura um tempo futuro.

 

E deixa que à superfície

De ti próprio,

Venham os sonhos e os anseios

E Luz aos teus pensamentos.

 

Ampara-te à minha força

Mas lentamente, como tu sabes...

Deixa-me e continua só…

 

Não voltes para mim

O teu olhar …

Eu não vou chorar,

Não vou clamar,

Não vou reter

O teu caminhar!

 

FICO:

 

Olhando o horizonte, ao longe,

Brilhando como o Sol

De outras eras

Outras gerações.

 

Mas sei :

Este é o Sol

Da tua própria vida.

 

E faço deste momento,

Em que te vejo

Reflectido no que escrevo,

 

- Um tempo meu e teu –

 

Ele significa felicidade,

 

Vamos dividi-lo,

Com os outros caminhantes,

 

E deixamos de ser

CRIATURAS ERRANTES.

 

 

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 19:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

TU SABES ...

   

 

 

 

Todos Te procuram …

Com consciência ou sem ela …

 

 

Quando Tu estás tão próximo,

Do amor que não damos,

Do sofrimento que ignoramos,

 

 

E do auxílio que nos pedem

E nos esquecemos de ouvir …

 

 

Por razões só nossas

E NÃO TUAS …

publicado por M.Luísa Adães às 19:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

TU SABES QUANTO DUVIDO

 

 

Escutas este coração

Frágil de incertezas,

Entendes o tempo passado

Sentes o tempo futuro.

 

Deixa-me ressuscitar

Ajuda-me a encontrar

O entender …

 E saber …

 

Basta-me o Teu amor!

 

Perdoa não agradecer,

Nem escutar

Os momentos únicos

Quando a Tua presença

Aflora à minha porta

 

E eu distante

Não sinto a Tua vinda,

Voltada para coisas

Mais leves

Cujo significado

É o Nada … 

 

 

Mas peço,

Sem o merecer,

Eu sei …

 

Possa reviver para a Vida

Oferecida por Ti,

 

EM TROCA, APENAS,

DESTES VERSOS.

 

 

 

música: Pink Floyd
publicado por M.Luísa Adães às 15:55
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

ESQUECER

         

 

Esquecendo os sorrisos de troça …

Eu continuo a escrever e a dizer

 

Quero dar à Vida

Beleza, Amor

E Poesia também …

 

 

É profundo o que digo?

Deprime o Peregrino afortunado?

 

 

Talvez …

Mas é verdadeiro …

Verdadeiro e inquietante … Eu sei!

 

 

Mas a culpa é de Todos !

 

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 18:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

MEDITEMOS:

    

 

 

Na Esperança e na Fé

E isso fica deslocado …

Perdido …

 

 

Num Mundo,

 

 

Ainda por Nascer …

publicado por M.Luísa Adães às 18:48
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

ANALISEMOS

 

 

O chamado fenómeno

Deste tempo,

Crianças torturadas

Por outras crianças,

 

Sem Direitos

À dádiva da Vida.

 

E ainda os imolados

Pelo fogo,

Na tentativa de mostrar

O injusto,

A insensatez destes dias

 

E não é possível entender …

 

Olho o firmamento

O Infinito azul, profundo,

A beleza desta Terra,

 

O sol,

A luz,

O entardecer,

 

E não posso esquecer

O sofrimento,

A amargura

Da humanidade.

 

Nada posso fazer …

 

Nada sou,

No contexto que me rodeia.

 

Nada sou …

 

publicado por M.Luísa Adães às 18:43
link do post | comentar | favorito
|

DENUNCIEMOS:

 

 

A indiferença,

Os debates sem glória,

As análises dos factos,

Os projectos,

Esperando solucionar

Dificuldades.

 

A Guerra aceite

Como coisa natural,

 

O aniquilar de sentimentos

E de esperanças …

 

E tudo isto

Num mundo de Todos …

 

E não apenas …

 

De alguns.

 

publicado por M.Luísa Adães às 18:11
link do post | comentar | favorito
|

CHOREMOS:

 

 

Pelos bairros mediáticos,

Vítimas do polvo que mata,

E transforma gente boa,

Em criaturas más,

 

E destrói,

 

Dignidade

Amigos

Família

Força

Sonhos …

 

Juntemos as nossas palavras,

O nosso querer

E toquemos os corações

… Mesmo os mais frios,

E transformemos o pesadelo,

 

Num acordar dourado,

Num renascer real

Numa manhã de amor,

 

Daquele amor,

Que todos temos,

 

Dentro de nós …

 

E acima de nós.

publicado por M.Luísa Adães às 17:52
link do post | comentar | favorito
|

FALEMOS:/LEMBREMOS

 

 

Dos desprezados

Dos perseguidos

Dos humilhados.

 

Eles são a minha gente,

A minha família maior,

A razão pela qual escrevo,

A voz poderosa,

O alento dos meus versos.

 

Há neles um trabalho a fazer:

 

Ajudar

Cultivar

Transformar

Dar força,

 

E uma vida a viver,

 

Com jardins,

Onde se tratam as flores,

Se plantam árvores,

Se apara a relva …

 

E ouve-se ao longe …

O murmúrio das águas,

Correndo para o Mar.

 

E entras com amor,

No mundo de todos.

 

 

 

 

 

 

As multidões degoladas

Pela ira do fanatismo,

As minas que matam

E transformam sonhos

Em pesadelos eternos.

 

Os campos de extermínio,

A bomba de Hiroxima,

 

As experiências nucleares,

As multidões desaparecidas.

 

Os desalojados,

Os sem guarida,

Os sem Pátria,

Os sem fronteiras.

 

E tentemos mudar …

 

Ajudando a criar

 

Um Mundo melhor.

publicado por M.Luísa Adães às 17:44
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2008

INCERTEZA

    

 

 

Simbolizas o Mundo

   E a salvação desse Mundo?

   Ou és apenas um Sonho?

 

 

    O meu sonho …

    O meu acordar …

    A minha esperança …

 

 

A minha Vida …

 

 

 

No caminho incerto

Sei que aceitas as dúvidas

E dás as certezas …

 

 

Mas procuro a Paz

Num Mundo em convulsão …

 

 

 

     

 

 

    

      

 

 

 

      

     

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 16:23
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 17 de Fevereiro de 2008

REGRESSO

 

 

Deixa-me dizer-te

Quanto Te amo,

Deixa-me falar-te

Nas dificuldades

Vividas

E possas sentir

O meu coração

Batendo junto ao Teu,

Naquele ritmo certo

Dos que nada sofrem.

 

Choro, mansamente,

A minha dor

E sinto,

Ela é feita do desespero

Da minha fraqueza!

 

Levanto-me com firmeza

Venço-me a mim própria

E acordo do meu sono

Incerto.

Penso e grito bem alto:

 

EU PERTENÇO À VIDA!

AO MUNDO!

AO UNIVERSO!

 

E tudo quanto me rodeia

ESPERA O MEU REGRESSO!

publicado por M.Luísa Adães às 17:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 16 de Fevereiro de 2008

ENCONTRO

     

 

Espera um pouco e diz-me …

 

Quem sou?

Para onde vou?

O que procuro?

 

Mas antes de tudo,

Eu sei

Tenho de sobreviver

Às minhas interrogações

E fazer …

E cumprir o meu propósito,

 

Não antes nem depois …

No tempo certo da separação,

Calcular bem esse tempo

E descobrir escrito …

 

Nas estrelas ou nos astros,

No próprio Oceano,

Nas planícies deste Planeta,

Nos pontos não atingidos

Pelas minas que matam …

E nos espaços libertos dos flagelos,

 

A Tua escrita

A Tua palavra

O Teu mapa

 

E possa partir … Sem me perder.

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 20:03
link do post | comentar | favorito
|

ESPERO POR TI

 

 

Vem de novo até mim …

E eu, transformada

Numa criatura diáfana

Possa entender

O que não vejo …

 

Eternidades para pressentir

E dizer,

Agora eu sei,

A razão da caminhada,

 

Atribulada

Árdua

Difícil

 

Mas feita das emoções

E das razões

Que me prendem à Vida.

 

E Tu que me vês

Tu meu amigo

Que me procuras …

 

E ouves a minha voz,

Sentes os meus desesperos,

Aceitas as minhas dúvidas

E desces da Plenitude do Universo

… Por mim

 

Possas ser o Amor

Ou o todo que me rodeia

A beleza a envolver-me

Os meus sonhos

As minhas realidades …

 

Oferece-me

A dádiva da Tua presença

 

E eu saiba quem Tu és.

publicado por M.Luísa Adães às 12:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2008

O MUNDO TAMBÉM É DELE

 

            

 

Talvez as minhas estradas sejam outras,

Estradas sem acidentes maléficos

Que levam a vida humana.

 

Estavas sentado à tua porta,

Tinhas terminado a tua tarefa,

Desbravando a terra

Que te alimentava.

 

Estavas, talvez, sonhando,

Sem saber o que é sonhar

E de repente, surge da noite quente

E do ar tépido

O monstro do fanatismo e da guerra.

 

E num segundo do teu tempo,

Roubou-te a Família e a terra

E fugiste … nada podias fazer.

Ao Longe uma estrada deserta acenou

E caminhaste ao seu encontro.

 

ESTRADAS

 

A poeira sucumbe o caminhante,

Ele não sabe onde o leva a estrada,

Ele não sabe …

Mas não conhece outro lugar,

Perdeu tudo quanto amava,

Aldeia

Família

Amigos

 

Nada lhe resta … apenas a estrada,

Feita de poeira

E talvez o leve ao Nada.

 

Sabem como ele caminha?

Como pode caminhar alguém que tudo perdeu?

 

A aldeia onde vivia desapareceu,

Levada pela ira brutal de outros homens

E ele não morreu … na avalanche do ódio,

Do único mundo que conheceu …

Não sabe dos confrontos do mundo,

Ele não sabe …

Apenas sabe que não tem nada,

 

Nem outra estrada,

Nem Família

Nem Amigos.

 

Isso sabe …

 

 

Está só no desconhecido

E foge do pouco que conheceu,

Talvez se salve

Talvez morra …

 

Não encontra nada

Que lhe dê guarida …

 

Ele apenas conhece a morte

E aquela estrada, infindável.

Afasta-se do seu pobre sonho,

Enterrado algures,

Pelos outros homens.

 

Eu nada posso fazer,

Só dizer à minha maneira

Que ele não vai ler …

Nem vai ouvir …

 

Apenas caminhar,

Com a dor muito grande,

Dos que nada são,

Dos que nada têm.

 

Mas o mundo de que foge,

Também é dele …

 

Sim, teu …

 

Caminhante exausto e dolorido,

Numa jornada sem fim.

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 21:19
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2008

AMIGO

 

 

Ajuda-me a subir,

A relembrar

A árvore secular,

O amigo adormecido

Em meu lugar;

Deixa-me voltar

Apertá-lo junto ao coração

Falar-lhe, mansamente,

Docemente,

Como nunca ouviu falar

E perguntar:

 

- Como foi possível desdobrares

O teu sentir

A tua Alma

E doares-me tudo

Confiando em mim?

Leva-me junto Dele! …

 

Afundo os meus passos

Nas areias douradas,

Olho a minha imagem

Saída do espelho

Transformada

E seremos um

E não dois,

Separados

Por um sonho

Interminável.

 

Nada me dizes?

Apenas sorris nessa forma de encanto? …

 

Não transmito o Teu falar

Perdi as palavras …

Quando desci

Ao fundo do poço,

 

Por mim

E talvez por Te AMAR!...

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 16:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008

OS SETE DEGRAUS

Vejam o comentário que foi feito por Alcacer do Sal,no jornal Setúbal na Rede.

 

http://www.setubalnarede.pt/content/index.php?action=articlesDetailFo&rec=3974

publicado por M.Luísa Adães às 15:49
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2008

PROMESSA

              

 

Da Plenitude do Universo

Eu venho...

Ouvi o som da tua voz,

O teu pedido dolorido e cansado

E reconheci quanto te tinha amado.

 

E vim…

 

Do Espaço Desci…

Olhei à minha volta

E não te vi…

Perdi-te de novo

E subi…

 

…E regressei sem ti.

 

Mas voltarei a descer…

Se de novo te ouvir,

Procurarei estar atento

A não te perder,

 

E fazer o milagre de me veres

E me reconheceres…

E saberes quem sou…

 

E nesse dia,

Prendo-te ao meu abraço

E não deixo que te percas…

 

Nunca mais.

 

 

  

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 21:18
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2008

DANÇAS

 

 

 

 

Cantas e danças

Ao Luar

Iluminas o Mar

Calas o Vento

Transformas a Noite.

 

Envolve-me no feitiço

Da Noite

Do Luar

Do Vento

E do Mar.

 

Prende-me

Nos teus braços

E dança,

Canta

Como tu sentes

Como tu és …

 

 

E eu danço Contigo!...

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 20:56
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.links

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.posts recentes

. ROUBO

. Beijos/ Novo Ano Feliz

. BEIJOS

. Cantei!

. Oferta

. 11 de Setembro

. Oferta/ Evanir

. Oferta, a Maria luísa Adã...

. Cortesia de : Poesias do ...

. Três Rosas

. Oferta/ Maria/ Espanha

. Facebook/ Foto: A World o...

. Oferta/ Las cumbres del O...

. Oferta

. Pablo Neruda

. Agradecimento

. Prelúdio

. Oferta/ Novembro de 2012

. Poema sem nome

. Prémio Dardos/ 2012

. Saudade

. Juventude

. Jogos Olimpicos

. Amo!

. Oferta : www.estoyatulad...

. Bertold Brecht

. Decepcion ...

. Das Trevas para a Luz

. Primavera

. O Tempo

.favorito

. Whitney Houston

. FOGO

. NOITE

. Meu Amigo

. SEDE

. VIDA

. NUA

. Nascer e Viver

. REALIZAR

. ROSA IMORTAL


Selo do prémio dardos Oferta:-http//tintasepinceis.blogs.sapo.pt



Familia Maldonado /Brasão